Por clarissa.sardenberg

Inglaterra - O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, foi nesta sexta-feira ao palácio de Buckingham para comunicar pessoalmente à rainha Elizabeth II sua intenção de renunciar em outubro após a vitória do " brexit" no referendo da União Europeia (UE).

Premiê David Cameron anunciou que não quer mais continuar no cargo depois do 'brexit'EFE

Cameron anunciou na manhã desta sexta-feira na residência de Downing Street que tinha decidido não continuar como líder do Partido Conservador e chefe de governo, ao não ter conseguido convencer os britânicos sobre os benefícios de continuar como membros da UE.

Com quase 52% dos votos, os cidadãos decidiram em um plebiscito realizado nesta quinta-feira romper os laços com o bloco europeu, ao que se uniram há mais de 40 anos.

Como aponta o protocolo, o premiê foi à residência real para uma audiência pessoal com Elizabeth II para comunicar que seu partido deverá escolher o novo líder do Partido Conservador e, portanto, o novo chefe do governo.

Ao comunicar sua intenção de renunciar, Cameron tranquilizou, além disso, aos comunitários que vivem no Reino Unido ao afirmar que não haverá "mudanças imediatas" em suas circunstâncias, nem dos britânicos que estejam residindo em outros países do bloco europeu.

Segundo explicou, não haverá modificações iniciais no livre movimento de cidadãos, mercadorias e serviços. Cameron disse que as negociações com Bruxelas para estabelecer o processo de ruptura do Reino Unido com a UE deverão ser feitas com outro líder, que deverá ser eleito no mês de outubro, quando acontece o congresso do partido. 

Você pode gostar