Por clarissa.sardenberg

Alemanha - A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, lamentou o resultado do referendo pela saída do Reino Unido da União Europeia (UE), mas disse acreditar que o bloco é forte o suficiente para lidar com a situação. "É um golpe contra a Europa, um golpe contra o processo de unificação europeia", disse em coletiva de imprensa, nesta sexta-feira. Ela reiterou que a Alemanha tem um "interesse especial" e uma responsabilidade com o sucesso da UE e que as autoridades europeias precisam tentar uma relação próxima de Londres no futuro. No entanto, outros líderes europeus já se manifestam a favor de votações para saber "a vontade do povo."

"Tão rápido quanto possível, os holandeses devem ter a oportunidade de se pronunciar a respeito da permanência na União Europeia", declarou o líder anti-imigração Geert Wilders. Uma das últimas pesquisas no país mostra que 54% dos holandeses quer um referendo sobre permanência na UE.

Merkel lamentou saída do Reino Unido da União Europeia%2C mas crê que o bloco é forte o suficienteEFE

Já o premier da Itália, Matteo Renzi, teve uma reação mais discreta, mas enfatizou que esse é um tempo de mudanças para o bloco. "Europa é nossa casa, o lar de nossos filhos e netos. E mais do que nunca estou convencido de que precisamos de renovações. Os britânicos fizeram sua escolha e é a hora de virarmos a página", disse, em coletiva de imprensa.

Hollande lamentou "profundamente" a decisão pela saída do Reino Unido e disse que o bloco deverá fazer mudanças para continuar avançando. "A votação britânica é um duro teste para a Europa", concluiu.

Em breve pronunciamento televisionado, Hollande disse que este é o momento para reforçar importantes políticas, como de segurança e defesa, proteção das fronteiras e criação de empregos.

A Alemanha é atualmente, a maior economia e a mais atuante dentro da UE. Além disso, Berlim foi um dos maiores entusiastas da criação do grupo, que ajudaria em sua reintegração no continente após a II Guerra Mundial. A chanceler também lembrou que o Reino Unido continua membro da UE com "todos seus direitos e obrigações" até que as negociações sejam concluídas.

Um encontro entre Merkel e o presidente da França, François Hollande, e o premier da Itália, Matteo Renzi,vai acontecer na próxima segunda-feira em Berlim para debater a questão.

Você pode gostar