Por lucas.cardoso

Istambul - Pelo menos 28 pessoas morreram, e 60 ficaram feridas, nesta terça-feira à noite, em um atentado com três suicidas cometido em um terminal do aeroporto internacional Ataturk, de Istambul, o mais importante da Turquia, anunciou o governador Vasip Sahin.

"Três suicidas realizaram o ataque, 28 pessoas morreram, e 60 ficaram feridas", disse Vasip Sahin à imprensa. Todos os voos foram suspensos."Um terrorista começou a atirar com uma Kalashnikov e, então, se detonou", relatou o ministro turco da Justiça, Bekir Bozdag, em pronunciamento no Parlamento, em Ancara.

Uma grande onda de pânico varreu o terminal de voos internacionais, quando duas violentas explosões seguidas de tiroteio foram ouvidas, por volta das 22h (16h, horário de Brasília). Mais de dez ambulâncias foram enviadas ao terminal, noticiou a rede CNN-Türk. "Foi muito forte. Todo mundo entrou em pânico e começou a correr em todas as direções", disse um dos entrevistados à emissora.

Terroristas se explodiram após troca de tirosReprodução Twitter

Um grande efetivo de policiais estabeleceu um perímetro de segurança na área afetada, segundo as imagens. Fotos divulgadas nas redes sociais mostram danos materiais significativos dentro do terminal e passageiros deitados no chão. Em entrevista coletiva no primeiro dia da cúpula europeia em Bruxelas, o presidente francês, François Hollande, condenou "duramente" o que chamou de "ato abominável".

"Quero condenar duramente esse ataque", declarou Hollande, acrescentando que "esses atos terroristas que acontecem depois de outros têm como consequência deixar a situação ainda mais difícil na Turquia". O aeroporto internacional de Ataturk é o 11º do mundo em fluxo de pessoas, registrando cerca de 60 milhões de passageiros no ano passado.

Duas explosões na área de check-in do aeroporto de Instambulreprodução twitter %40gentlemans_on

Rebeldes curdos ou extremistasEm 2015, a Turquia foi atingida por uma série de atentados letais, atribuídos a rebeldes curdos e ao grupo Estado Islâmico (EI). Em entrevista à CNN-Türk, o especialista em Segurança e Terrorismo Abdullah Agar privilegiou a tese de atentado "jihadista".

"Isso parece muito com os métodos deles", afirmou, referindo-se aos ataques contra o aeroporto e metrô de Bruxelas em março deste ano. O outro aeroporto de Istambul, o Sabiha Gokcen, foi atingido em dezembro passado por um atentado. Um funcionário morreu.

Istambul e a capital, Ancara, as duas maiores cidades do país, sofrem desde o ano passado com uma sequência de atentados que já deixaram quase 200 mortos e um grande número de feridos. Esses ataques foram atribuídos ao EI - que não reivindicou nenhum deles -, ou aos rebeldes curdos, sobretudo, do TAK, um braço do PKK, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão. O PKK retomou as armas há um ano contra o governo, após um cessar-fogo de dois anos.

Você pode gostar