Turquia bloqueia redes sociais após atentado no aeroporto de Istambul

Vídeo de atirador se explodindo mostra caos. Número de mortos subiu para 41, confirmaram autoridades

Por O Dia

Turquia - O governo da Turquia bloqueou as redes sociais do país, tais como Facebook, Twitter, Instagram e Youtube, para evitar publlicações que "aumentassem o caos" após o atentado no aeroporto Ataturk, na capital Istambul. Na manhã desta quarta-feira, autoridades confirmaram que o número de mortos subiu para 41, entre eles 13 estrangeiros, além de três agressores suicidas, anunciou nesta quarta-feira o escritório do governador da cidade.

Atentado em Istambul deixou 41 mortosReprodução Vídeo

Muitos usuários estão com dificuldades para se conectar, apesar de as autoridades não confirmarem um bloqueio total, citam jornais internacionais como o "Le Monde." Um vídeo divulgado na noite desta terça mostra um homem-bomba se detonando no aeroporto.

Sem dar mais detalhes sobre as nacionalidades, o escritório confirma, além disso, 239 feridos, dos quais 109 já tiveram alta, informou a instituição em seu site. Dos 41 mortos, 37 já foram identificados, dos quais dez são estrangeiros e três têm dupla nacionalidade, precisa o comunicado, enquanto 19 corpos já foram entregues a suas famílias. Além disso, 130 pessoas seguem sob tratamento em diversos hospitais da cidade, enquanto 109 já receberam alta.

O comunicado não atribui responsabilidades ao atentado, mas durante a madrugada o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, afirmou que "os primeiros indícios apontam para o Estado Islâmico" como autor do massacre.

O ataque aconteceu às 18h50 GMT (15h50, em Brasília), quando três terroristas armados com fuzis e com explosivos atacaram a entrada do terminal de voos internacionais do aeroporto, dispararam de forma indiscriminada e acabaram morrendo. O aeroporto, o maior de Istambul, foi fechado durante cinco horas mas foi reaberto durante a madrugada e está voltando lentamente à normalidade, embora vários voos sigam cancelados ou atrasados.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência