Por clarissa.sardenberg

Estados Unidos - Um dos feriados mais tradicionais para os norte-americanos, o Dia da Independência está sendo comemorado nesta segunda-feira nos Estados Unidos em meio a um forte esquema de segurança para evitar atentados terroristas.

As autoridades decidiram aumentar as medidas de segurança, assim como o número de policiais nas ruas para acompanharem os desfiles, espetáculos pirotécnicos e shows. Um dos temores é de que o grupo extremista Estado Islâmico (EI, ex-Isis) convoque atentados ou "lobos solitários" (que agem isoladamente) para este 4 de Julho.

Tradicionais desfiles de 4 de Julho tomam as ruas de Washington%2C nos Estados Unidos Reprodução Twitter

No fim de semana, a organização sunita foi apontada como a autora de ataques sangrentos em Bagdá, com 200 mortos, e em Daca, com 20 vítimas. Além disso, um suicida foi detido perto do consulado norte-americano em Jeddah, na Arábia Saudita.

Em junho, um homem que se dizia apoiador do EI cometeu um massacre na boate Pulse, em Orlando, e matou 50 pessoas. Em seu último Dia da Independência como presidente dos Estados Unidos, Barack Obama participa de um "barbecue" com familiares de militares e de um concerto de Janelle Monae e com o rapper Kendrick Lamar.

No período da tarde, está programada uma exibição pirotécnica produzida por Chris Santore, representante da terceira geração de uma família italiana de imigrantes famosa pelos fogos de artifício "Made in Italy". Em Washington D.C, também haverá um desfile de honra e a leitura da declaração da Independência por atores que interpretarão Benjamin Franklin, Thomas Jefferson e George Washington.

Você pode gostar