Oposição perturba Hillary por e-mail

O líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, pediu ao FBI que revele o conteúdo das conversas

Por O Dia

Estados Unidos - O imbróglio do e-mail continua rendendo nos Estados Unidos. Apesar de Hillary Clinton ter sido inocentada da acusação de ter usado um servidor privado para resolver questões da Secretaria de Estado, durante seu mandato (de 2009 a 2013), a oposição não quer deixar barato. O líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, pediu ao FBI que revele o conteúdo das conversas. que seus agentes mantiveram com a virtual candidata democrata às eleições presidenciais, Hillary Clinton. “Está bastante claro que o povo americano gostaria saber o que disse Hillary ao FBI”, afirmou.

Já o diretor do FBI, James Comey, disse a parlamentares ontem que funcionários do FBI que lidassem com material confidencial da mesma forma como fez Hillary poderiam ser demitidos ou perder acesso a informações sensíveis.

Comey tratou da questão em audiência de um comitê da Câmara dos Deputados dos EUA após o presidente da Casa, Paul Ryan, ter dito em uma carta ao diretor de Inteligência Nacional, James Clapper, que Hillary deveria ter acesso negado a informações confidenciais durante sua campanha.


Com Efe

Últimas de _legado_Mundo e Ciência