Quem será a nova Thatcher?

Andrea Leadsom e Theresa May chegam ao terceiro e último turno de eleição

Por O Dia

Londres - É oficial: 25 anos depois, o Reino Unido terá uma primeira-ministra. Desde a renúncia de Margareth Thatcher, também conservadora, em 1991, só homens comandaram a terra da Rainha de Downing Street 10, endereço do poder de Londres.

A ministra do Interior, Theresa May, e a secretária de Estado de Energia, Andrea Leadsom, competirão para suceder David Cameron, à frente do Partido Conservador e do governo do país, decidiram em votação ontem os deputados ‘tories’.

May somou 199 apoios entre os 329 parlamentares conservadores que participaram da segunda rodada do processo para escolher o novo líder, enquanto Leadsom teve 84 votos. O ministro da Justiça, Michael Grove, ficou com 46, o que o deixou de fora da disputa. Ambas as candidatas se submeterão agora a uma eleição entre os 150 mil filiados ao partido, cujo resultado será conhecido dia 9 de setembro.

May, que defendeu a permanência na União Europeia, parte como favorita para ficar com a liderança do governo, depois de Cameron ter anunciado a renúncia logo após a vitória do ‘Brexit’. “Esse voto demonstra que o Partido Conservador pode estar unido. Sob minha liderança, ele estará”, disse May em frente à porta do Parlamento de Westminster, após a votação.

Prazo para o ‘Brexit’ opõe candidaturas

May, de 59 anos, destacou que a vontade dos 51,9% dos eleitores que defenderam o ‘Brexit’ no referendo deve ser respeitada e descartou qualquer tentativa para que o Reino Unido continue fazendo parte da UE. A política conservadora indicou, porém, que não ativará pelo menos até o fim do ano o Artigo 50 do Tratado de Lisboa, que inicia a contagem de dois anos para sair do bloco europeu.

Já Leadsom, ex-diretora bancária, de 53 anos, afirmou que comunicará oficialmente Bruxelas sobre a intenção de Londres de abandonar a UE o mais breve possível. A deputada fez campanha pelo ‘Brexit’, com foco contra imigrantes.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência