Chefe de estação admite erro em acidente de trem que matou 27 na Itália

Homem disse que ficou confuso, mas que não foi o único culpado. Tens colidiram de frente em acidente trágico

Por O Dia

Itália - O chefe de uma das duas estações entre as quais ocorreu o acidente ferroviário que nesta terça-feira deixou 27 mortos e dezenas de feridos no sul da Itália reconheceu que permitiu a partida do trem que provocou a colisão, informou a imprensa italiana nesta quinta-feira.

"Fui eu quem deixou esse trem sair, fui eu quem deu autorização. Havia confusão, os trens estavam atrasados", declarou Vito Piccarreta, chefe da estação de Andria, citado pelo jornal "La Stampa".

Choque de trens na Itália matou 27 pessoas EFE

"Mas não foi apenas culpa minha. Todos me crucificam, mas eu também sou uma vítima", lamentou, segundo o Corriere della Sera.

Nesta terça-feira, dois trens que estavam na mesma linha férrea entre as localidades de Corato e Andria, na região de Puglia (sul), colidiram frontalmente.

Os chefes das duas estações precisam entrar em acordo por telefone para deixar um trem passar de cada vez neste trecho é de via única.

Trens se chocaram de frente na saída de uma curva%2C na região da Puglia%2C no sul da ItáliaEFE

Segundo uma reconstituição do La Stampa, três trens - um a mais que o normal - deveriam passar por este trecho. Depois que o segundo trem passou, o chefe da estação de Andria cometeu o erro de deixar o terceiro trem passar, o que provocou a colisão.

Mas o chefe da estação de Corato, Alessio Porcelli, também está na mira da justiça, já que deveria ter percebido que um trem se aproximava na direção oposta à do que acabava de sair de sua estação.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência