Trump empata com Hillary em nova pesquisa eleitoral

A imagem de da democrata foi afetada pela polêmica sobre o uso de um sistema de e-mail pessoal; Hillary pede apoio latino

Por O Dia

Nova York - O provável candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, empatou com sua oponente democrata, Hillary Clinton, na última pesquisa divulgada nesta quinta-feira pelo jornal "The New York Times " e pela emissora "CBS", que dá a ambos apoio de 40% dos eleitores.

Realizada por telefone entre os dias 8 e 12 de julho, os resultados da pesquisa refletem como a imagem de Hillary foi afetada pela polêmica sobre o uso de um sistema de e-mail pessoal durante seu período como secretária de Estado e pelas últimas críticas que recebeu do diretor do FBI sobre este assunto.

Hillary e Trump%2C disputam a indicação dos partidos Democrata e Republicano para as eleições à presidência dos Estados UnidosANSA

A ex-primeira-dama perdeu em apenas um mês os seis pontos percentuais de vantagem que tinha em junho sobre o candidato republicano, e agora 67% dos eleitores asseguram que não confiam na secretária de Estado sob a Administração de Obama.

Por sua vez, Donald Trump, que nesta sexta-feira deve anunciar seu candidato à Vice-Presidência do país, melhorou levemente sua aprovação entre os eleitores e subiu três pontos percentuais, passando de 37% de apoio para 40% atual. Os números de Hillary começaram a diminuir a partir de abril, quando, com 50% de aprovação, ela tinha até 10 pontos de vantagem sobre seu rival republicano. Em maio e em junho, a diferença caiu para 6%.

Apesar de Hillary também ter perdido 9 pontos percentuais em relação à opinião dos eleitores sobre se está preparada para a Presidência, a pesquisa ainda mostra que os eleitores consideram Hillary muito mais preparada para o trabalho, com 50%, em comparação com 30% que opinam o mesmo sobre Trump.

Apoio latino

"Eu vejo, escuto e estou com vocês. E, juntos, devemos enviar uma sonora mensagem a Donald Trump em novembro, e ganhar um decisivo mandato contra a demagogia e o medo", disse Hillary a uma plateia de ativistas e de líderes latinos em Washington.

A duas semanas de ser oficializada como a candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, a ex-secretária de Estado advertiu os eleitores latinos de que "não é suficiente reclamar". Ela convocou todos a "inspirar um nível de participação nas urnas para ganhar a eleição com folga".

Últimas de _legado_Mundo e Ciência