Atirador de Munique tinha obsessão por assassinatos em massa, diz polícia

Investigadores fizeram uma busca na casa do jovem alemão-iraniano e encontraram um volume considerável de literatura sobre assassinatos em massa

Por O Dia

Munique - O atirador de 18 anos que abriu fogo contra frequentadores de um shopping e de um restaurante de fast food em Munique, matando nove pessoas e ferindo outras 16 antes de se matar, tinha obsessão por assassinatos em massa, disse neste sábado a polícia alemã.

Tiroteio deixa rastro de morte em shopping em Munique, na AlemanhaPolícia afirma que apenas um atirador participou de ataque na Alemanha

Investigadores fizeram uma busca na casa do jovem alemão-iraniano e encontraram um volume considerável de literatura sobre assassinatos em massa, incluindo um livro intitulado Rampage in Head: Why Students Kill (Fúria em minha cabeça: por que estudantes matam, em tradução livre), mas não encontraram indícios de ligação com grupos extremistas como o Estado islâmico. Eles acreditam que o atirador agiu sozinho.

"Encontramos documentos sobre assassinatos em massa", disse o chefe de polícia de Munique, Hubertus Andrae. "Ele obviamente tinha obsessão pelo assunto."

Policiais cercaram o shopping em Munique AFP

Robert Heimberger, chefe da polícia criminal do Estado da Baviera, disse que, aparentemente, o atirador invadiu uma conta do Facebook e enviou uma mensagem convidando pessoas para irem até o shopping buscar um brinde. Investigadores também encontraram evidências de que o suspeito tinha recebido tratamento para problemas psicológicos, mas os detalhes ainda estavam sendo confirmados, disse o promotor de Munique Thomas Steinkraus-Koch.

O ataque desencadeou uma grande operação de segurança na cidade. Autoridades, que já estavam em alerta após os ataques em Würzburg e Nice, inicialmente receberam relatos de que havia vários atiradores. Oito horas mais tarde, a polícia disse que o suspeito estava entre os 10 mortos e que provavelmente tinha agido sozinho.

Polícia fechou estações de trem e de metrô na caçada logo após o ataque%2C quando se imaginava que três homens participaram do tiroteioEFE / EPA

Andrae disse que sete das vítimas eram adolescentes e que um homem de 20 anos e uma mulher de 45 também foram mortos. Todos viviam em Munique. Segundo ele, a cidade é segura para turistas e o ataque não tem ligação alguma com o fluxo recente de refugiados que desencadeou debates sobre imigração na Alemanha.

A chanceler alemã, Angela Merkel, tinha uma reunião agendada para este sábado com seu gabinete de segurança. O tiroteio aconteceu apenas quatro dias após um refugiado atacar pessoas com um machado em um trem nos arredores de Würzburg, deixando cinco pessoas gravemente feridas. O homem, que foi morto a tiros pela polícia, estava registrado como refugiado afegão no país, e vivia com uma família alemã na região.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência