Por rafael.nascimento

Itália - O papa Francisco fez uma visita nessa quinta-feira à cidade de Assis, na Itália, e falou sobre a importância do perdão para a vida de todos os cristãos. A cidade celebrou, no último dia 2, os 800 anos do "Perdão de Assis" ou "Porciúncula", uma das indulgências mais importantes da Igreja Católica.

Papa Francisco durante uma missa em Assis%2C na Itália%3A 'Gostaria de mandar todos para o céu' Efe

"Quero lembrar hoje, antes de tudo, as palavras que, segundo uma antiga tradição, São Francisco pronunciou aqui mesmo, perante todo o povo e os bispos: 'Quero mandar todos vocês para o paraíso'. O que eu poderia pedir de mais bonito no 'Perdão de Assis' se não o dom da salvação, da vida eterna com Deus e da alegria sem fim que Jesus conquistou com sua morte e ressurreição?", disse o Pontífice.

Bergoglio confessou uma criança que estava no local Efe

Segundo Jorge Mario Bergoglio, o perdão "é a principal estrada a ser seguida" para atingir um lugar no céu. Citando a "Porciúncula", o Papa ressaltou que "como é bonito que todos falem de perdão" e disse que o "perdão é um presente do Senhor".

"Mas, como é difícil perdoar, não é? O perdão é um carinho e está bem longe do gesto 'você vai me pagar'. O perdão é outra coisa. É o amor do Pai, não a nossa pretensa justiça. Quando estamos em dívida com os outros, nós pedimos a misericórdia. Mas, quando estamos com crédito, invocamos a justiça", disse ainda o líder da Igreja Católica.

Para o sucessor de Bento XVI, o mundo atual está muito preso "ao rancor e nutre muito ódio, que estraga a própria vida ao invés de encontrar a alegria da serenidade e da paz". Lembrando o Ano Santo da Misericórdia, invocado pelo Papa no ano passado, o líder católico pediu que o perdão "renove" a Igreja Católica para que ela ofereça "testemunho" ao mundo atual.

"Por que devemos perdoar uma pessoa que nos fez mal? Porque todos nós fomos perdoados primeiramente e infinitamente muito mais do que podemos. A parábola conta isso. Como Deus nos perdoa, assim também nós devemos perdoar a quem nos faz mal", concluiu Francisco.

Fugindo do protocolo, Bergoglio confessou os fiéis que estavam no local e visitou a enfermaria do Convento de Assis. O Papa volta dentro de algumas horas para o Vaticano.

Você pode gostar