Premiê confirma ao menos 120 mortos e 368 feridos em terremoto na Itália

Segundo autoridade, 'emergência demandará um longo período de gestão'. Cidade medieval de Amatrice foi destruída

Por clarissa.sardenberg

Itália - O primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, afirmou que o terremoto de 6,2 gaus que atingiu a zona central do país nesta madrugada "deixou ao menos 120 mortos". "Os feridos foram levados para fora de Amatrice e Accumoli com helicópteros e ambulâncias. Foram 368 somente nesta manhã", informou Renzi. Há crianças entre os mortos. 

"Há alguns problemas para o reconhecimento dos corpos, mas estamos trabalhando nisso". A declaração de Renzi foi dada em em Rieti, uma das províncias mais afetadas pelo abalo sísmico, onde o premier também destacou que será preciso um "longo período de gestão" para lidar com a emergência provocada pelo terremoto.

Terremoto atingiu região do Lazio%2C onde fica Roma%2C e de Marcas na Itália devastando a cidade histórica de Amatrice e deixando ao menos 120 mortos Foto%3A EFE

"A emergência demandará um longo período de gestão. Deveremos estar, todos, à altura deste desafio", disse o premiê.

Segundo a Defesa Civil italiana, das 120 mortes confirmadas até o momento, 86 foram registradas em Accumoli e Amatrice. As outras 34 ocorreram em Arquata.

O prefeito de Amatrice afirmou que a cidade foi devastada pelo terremoto. "É um drama, metade da cidade não existe mais", declarou o prefeito Sergio Pirozzi. Para piorar, o próprio hospital municipal não está em condições de ser usado. "A situação é dramática, muitas pessoas estão sob os escombros", acrescentou. 

A embaixada do Brasil na Itália ainda não recebeu informações de brasileiros que possam estar entre as vítimas do terremoto desta quarta-feira. Um canal de comunicação especial foi oferecido aos brasileiros. Ao menos 150 pessoas estão desaparecidas.

Papa pede orações 

Em sua audiência geral nesta quarta-feira, o papa Francisco exprimiu sua "grande dor" pelo terremoto que "devastou zonas inteiras e deixou mortos e feridos" na região central da Itália. O Pontífice disse ter ficado "fortemente comovido" ao saber que a cidade de Amatrice foi destruída e que há crianças entre os mortos.

"Exprimo minha proximidade às pessoas presentes em todos os lugares atingidos pelo temor, a todas as pessoas que perderam entes queridos e àquelas que ainda se sentem afetadas pelo medo", acrescentou.

Danos no Coliseu  

A Superintendência para o Coliseu e a Área Arqueológica de Roma ativou uma unidade de crise para verificar eventuais danos provocados pelo terremoto desta quarta-feira ao mais famoso monumento da capital italiana.

Uma primeira análise foi realizada durante a manhã, antes da abertura do Anfiteatro Flaviano ao público, para garantir a segurança dos visitantes. Nas próximas horas, serão feitas verificações mais aprofundadas para descobrir se há avarias que não estejam evidentes.

Outras construções históricas de Roma também serão analisadas. O tremor teve seu epicentro perto de Accumoli, a 145 km da capital, mas também foi sentido na "cidade eterna", onde centenas de pessoas chegaram a sair às ruas para se proteger. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia