Brasileiras mortas em Portugal foram jogadas dentro de poço

As jovens estavam desaparecidas desde fevereiro. O namorado de uma delas, grávida, já havia a ameaçado de morte e fugiu

Por O Dia

Lisboa - Seis meses de angústia para duas famílias brasileiras terminaram em horror em Cascais, perto da capital portuguesa. Os corpos de Michelle Santana Ferreira, 28 anos; da irmã dela, Lidiana Neves Santana, 16; e de Thayane Mendes Dias, 21, namorada de Lidiana, foram encontrados no fundo de um poço de hotel para cães em Tires. As três mulheres tinham sido dadas como desaparecidas em fevereiro.

Os cadáveres foram recuperados em avançado estado de decomposição. Dinai Alves Mendes, amante de Michelle e principal suspeito dos três assassinatos, fugiu para o Brasil. Michelle estava grávida de três meses.

Segundo a mãe das irmãs, Solange Santana, em declarações à SIC, as amigas de Michelle tinham comentado que Dinai a ameaçara de morte se ela engravidasse — e que sumiria com o corpo.

Michelle descobriu estar grávida semanas antes de sumir%3B a irmã%2C Lidiana%2C e Thayane também foram mortasReprodução

A polícia acredita que a chegada a Portugal da ex-mulher de Dinai o deixou em pânico, pois mantinha o relacionamento em segredo. Ele trabalhava no hotel em cujo tanque os corpos estavam.

Michelle, de Minas Gerais, chegou a Portugal há cerca de oito anos e trabalhava como doméstica. Ano passado, Dinai a pediu em casamento e passou a morar com ela na casa dele depois que a residência de Michelle fora furtada. Em novembro, o casal abrigou Lidiana, que veio de Minas para morar em Portugal. Mais tarde, os três dividiram o imóvel com Thayane, natural de Nova Venécia, no Espírito Santo.

De acordo com as declarações de uma amiga das três mulheres, Michelle vivia assustada. “Ela já me tinha dito que tinha de ter muito cuidado. O Dinai já lhe tinha dito que, se ela engravidasse, a mataria e desapareceria com o corpo”.

Já no fim do ano passado, Michelle assumiu que o namorado estaria diferente. Num grupo de Facebook onde estariam os familiares de Michelle, ela terá contado que Dinai estava “estranho e diferente”.

Pouco depois do desaparecimento das mulheres, Dinai despediu-se do hotel para cães onde trabalhava há dez anos e voltou para o Brasil, onde voltou a morar com a mulher com quem era casado e com quem tinha dois filhos. Às famílias das três mulheres disse que tinham ido morar para Inglaterra. Mas não havia registro nem da saída delas de Portugal, nem da entrada no Reino Unido.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência