Socorrista deixa bilhete à criança morta: 'Desculpa se chegamos tarde demais'

Menina foi achada nos escombros abraçada à irmã mais nova, que se salvou. Enterro de vítimas de terremoto comoveu a Itália

Por O Dia

Itália - Entre as tristes histórias que surgiram desde o terremoto ocorrido na região central da Itália na última quarta-feira, o caso da menina Giulia, 10 anos, é o que mais tem chamado a atenção no país.

A menina foi retirada sem vida dos escombros de sua casa, mas como estava abraçada à irmã Giorgia, de 4 anos, conseguiu salvar a vida da caçula - que ficou sob a pilha de cimento por mais de 16 horas. Os pais das meninas deixaram o hospital só neste sábado para poder fazer o funeral da filha mais velha.

O corpo de Giulia era um dos 35 caixões que foram enterrados hoje em Ascoli Piceno, capital da região de Marcas, em uma cerimônia solene que contou com a presença do presidente do país, Sergio Mattarella, e do premier Matteo Renzi. Mattarella, aliás, entregou uma boneca de presente para a pequena Giorgia, que completou seus quatro anos hoje.

Mas, o que chamou a atenção foi um bilhete deixado no caixão da menina por um socorrista identificado como "Andrea". Nele, o homem pedia "desculpas" por ter chegado "tarde demais" para salvá-la. A carta foi fotografada pela imprensa italiana e todos os meios de comunicação estão repercutindo a triste história. Já Andrea é proveniente da cidade de Áquila que, em 2009, passou por uma tragédia semelhante.

"Adeus, pequena. Eu só te dei uma mão para te tirar daquela prisão de escombros. Desculpa se chegamos tarde demais. Infelizmente, você já tinha parado de respirar. Mas, quero que você saiba aí de cima que nós fizemos todo o possível para tirar-te dali. Quando eu voltar para minha casa em Áquila, saberei que há um anjo que cuida de mim do céu e de noite você será uma estrela brilhante. Adeus, Giulia, mesmo que você nunca tenha me conhecido, eu gosto de você. Andrea", escreveu o socorrista.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência