Por clarissa.sardenberg

Filipinas - O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, afirmou nesta terça-feira que seu colega americano, Barack Obama, pode "ir para o inferno" e a União Europeia "ao purgatório" por suas críticas à campanha contra as drogas empreendida por seu governo. Essa não é a primeira polêmica do presidente envolvendo a União nem o líder norte-americano, a quem ele já xingou de "filho da p...".

Presidente filipino Rodrigo Duterte é criticado por órgãos internacionais por assassinatos em seu país EFE

"Você pode ir para o inferno, senhor Obama", afirmou Duterte durante uma conferência empresarial em Manila, na qual também disse que a UE "pode escolher o purgatório".

Mais de 3,5 mil pessoas morreram em operações militares e execuções extrajudiciais no marco da campanha contra o narcotráfico empreendida pelo governo filipino desde que Duterte assumiu a chefia do Estado em 30 de junho.

O presidente filipino já havia xingado palavrões contra a União Europeia e pontuado insultos com um sinal grosseiro - levantando o dedo médio - depois que o Parlamento Europeu condenou "a atual onda de execuções extrajudiciais e assassinatos nas Filipinas".

Essa também não é a primeira polêmica com Obama, a quem o presidente já xingou de "filho da p...". "É bom você não interferir, senão, filho da p..., vou te fazer pagar por isso", disse Duterte no iníco de setembro ao ser questionado por um repórter de como explicaria a Obama o alto número de homicídios extrajudiciais.

Você pode gostar