Por bianca.lobianco
No Dia de Finados%2C o Papa Francisco celebrou missa na periferia de RomaDivulgação

Roma - A proibição de mulheres se tornarem padres é para sempre e esta norma da Igreja Católica Romana nunca deverá ser alterada. A declaração é do Papa Francisco, em um de seus comentários mais definitivos sobre o assunto. 

Francisco falou sobre o tema anteontem a bordo do avião papal, voltando para Roma após passagem pela Suécia, em entrevista coletiva a repórteres. Uma repórter sueca destacou que a chefe da Igreja Luterana, que recebeu Francisco na Suécia, era uma mulher, e então perguntou se ele pensa que a Igreja Católica irá permitir que mulheres sejam ordenadas nas próximas décadas.

“São João Paulo 2º teve a última palavra clara sobre isto e assim fica, assim fica”, disse Francisco. Ele estava referindo-se ao documento de 1994 do Papa João Paulo 2º que fechou a porta à entrada de mulheres como padres. O Vaticano diz que isto é parte infalível da tradição católica.

A repórter então pressionou o Papa, perguntando: “Mas nunca? Nunca?”. Francisco respondeu: “Se lermos cuidadosamente a declaração de São João Paulo 2°, as coisas vão nesta direção”.

Francisco havia dito previamente que a porta para ordenação de mulheres está fechada, mas apoiadores de mulheres como padres esperam que um próximo papa mude a decisão, particularmente por conta da escassez de padres no mundo.

A Igreja Católica diz que mulheres não podem ser ordenadas porque Jesus escolheu somente homens como apóstolos. Críticos dizem que Jesus só seguia as normas de sua época.

Ontem, Dia de Finados, Francisco celebrou missa no Cemitério de Prima Porta, na periferia de Roma. Em sua homilia, o Papa refletiu sobre a figura de Jó que estava na escuridão, na porta da morte. Naquele momento de angústia, de dor e sofrimento, Jó proclama a esperança: “Sei que o meu redentor está vivo, eu o verei e meus olhos o contemplarão”.

Você pode gostar