Fidel encarnou 'orgulho da rejeição à dominação exterior', diz Hollande

País indicou 'que denunciava as afrontas aos direitos humanos' e sempre rejeitou o embargo imposto pelos Estados Unidos a Cuba

Por O Dia

França - O presidente da França, François Hollande, destacou neste sábado que Fidel Castro soube representar, para seu povo, "o orgulho da rejeição à dominação exterior", e transmitiu seu pesar à família do líder e a Cuba por sua morte.

"Fidel Castro foi uma figura do século XX. Encarnou a Revolução Cubana, tanto nas esperanças que gerou como depois, nas desilusões que provocou", afirmou o chefe de Estado francês.

Um dos "personagens da Guerra Fria", segundo o comunicado divulgado pelo Palácio do Eliseu, Fidel "correspondia a uma época que terminou com o afundamento da União Soviética".

Hollande indicou que a França, "que denunciava as afrontas aos direitos humanos, sempre rejeitou o embargo imposto pelos Estados Unidos a Cuba", e lembrou com celebração a abertura "ao diálogo que se restabeleceu entre os dois países".

O presidente francês recordou o encontro com o histórico líder cubano no dia 11 de maio de 2015, "na primeira visita de um chefe de Estado francês a Cuba desde a Revolução".

Fidel Castro morreu aos 90 anos às 22h29 de sexta-feira (hora local; 1h29 de sábado em Brasília), informou seu irmão, o presidente Raúl Castro, em pronunciamento na rede de televisão estatal.

O corpo do líder histórico da Revolução Cubana será cremado, de acordo com sua "vontade expressa", explicou Raúl, visivelmente emocionado. 

Últimas de _legado_Mundo e Ciência