Por thiago.antunes
Roma - Matteo Renzi formalizou ontem sua renúncia como primeiro-ministro da Itália ao presidente da República, Sergio Mattarella, que começará nesta quinta as consultas para nomear o substituto que vai liderar o novo governo do país, de caráter tecnocrata.
A informação foi confirmada pelo secretário-geral da República italiana, Ugo Zampetti, em um breve pronunciamento no qual afirmou que Mattarella “convidou o governo a permanecer, de forma interina, para o correto desenvolvimento dos assuntos correntes”.
Publicidade
Renzi apresentou sua renúncia depois que, no domingo, os italianos rejeitaram em referendo a reforma constitucional que ele considerava essencial para seu governo. O político já tinha entregado o cargo a Mattarella na segunda-feira, um dia depois da consulta popular, mas o presidente lhe pediu para adiar a decisão até a aprovação da lei de orçamentos para 2017, trâmite que passou ontem pelo Senado.
O governo de transição deverá, entre outras tarefas, implementar lei eleitoral homogênea para as duas câmaras — atualmente há uma para cada.