Por thiago.antunes

Moscou - O governo da Rússia acredita que o ex-espião do MI6 que supostamente elaborou relatório ‘comprometedor’ sobre o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, ainda serve à inteligência britânica, segundo afirmou a embaixada russa em Londres. 

Em mensagem no Twitter, o Kremlin lembrou que os agentes britânicos nunca se aposentam, deixando no ar que o ex-espião ainda está na ativa. O agente foi identificado pelos veículos de comunicação nos Estados Unidos e no Reino Unido como Christopher Steele, de 52 anos, um dos fundadores da companhia de investigação Orbis Business Intelligence Ltd, com sede em Londres. Ele deixou sua casa, em Surrey, quando o escândalo veio à tona.

O ‘Daily Telegraph’ informou que Steele, que espionou em Moscou para o MI6 nos anos 90, preparou o documento, tachado de “de araque” por Trump, onde afirmaria que o republicano participou de orgias em Moscou e aceitou informações provenientes de ciberataques ao Partido Democrata.

Você pode gostar