Por clarissa.sardenberg

Paris - A França identificou um dos terroristas envolvidos no atentado contra o Stade de France, em Paris, na noite de 13 de novembro de 2015. De acordo com informações reveladas nesta quarta-feira, trata-se de um iraquiano que portava um passaporte falso da Síria. O homem, Ammar Ramadan Mansour Mohamad al Sabaawi, de 20 anos de idade, morava em Mosul, a terceira maior cidade do Iraque e dominada desde junho de 2014 pelo Estado Islâmico (EI).

Al Sabaawi tinha declarado lealdade ao EI e se explodiu junto com outro homem-bomba perto do Stade de France, em Saint-Denis, Paris. As autoridades francesas descobriram também que o EI indenizou a família do terrorista em US$ 5 mil e um rebanho de ovelhas.

Público em pânico invadiu o campo do Stade de France por conta da explosão feita por terroristas durante amistoso entre França e AlemanhaReprodução Twitter

Os familiares foram avisados da morte do terrorista pela própria cúpula do Estado Islâmico que, no entanto, não contou que o homem se explodira em Paris. Na versão do grupo, o jovem cometera uma "missão suicida em Bagdá". Al Sabaawi era o quinto filho da família.

O mais velho foi militar no governo de Saddam Hussein até a intervenção norte-americana em 2003. O segundo trabalha como taxista em Mosul e os outros dois já ingressaram na jihad, sendo que um deles preocupa as autoridades francesas por manter planos de atentados na Europa.

O ataque ao Stade de France foi apenas um da série de atentados realizados pelo EI naquela noite. Outro alvo foi a casa de shows Bataclan. Ao todo, 130 pessoas morreram nos ataques, e mais sete terroristas.

Você pode gostar