Com a 3ª menor taxa de homicídio, Islândia fica em choque com morte de jovem

Corpo da vítima, de 20 anos, foi encontrado em uma praia na capital; Taxa de homicídio é 10 vezes menor que no Brasil

Por O Dia

Islândia - O desaparecimento e morte da jovem islandesa Birna Brjánsdóttir, 20 anos, deixou a Islândia em choque nos último dias. A mulher havia desaparecido no dia 14 de janeiro e seu corpo foi encontrado oito dias depois, em uma praia ao sul da capital Reykjavíc.

Birna Brjánsdóttir tinha 20 anos. Caso mobilizou paísReprodução/Internet

Dois homens provenientes da Groenlândia foram presos por serem suspeitos de terem assassinado a jovem. Eles estavam embarcados em um navio comercial no porto local. No entanto, a mídia local afirma que a embarcação não estava na Islândia quando Brjánsdóttir desapareceu.

A busca pela jovem envolveu mais de 700 voluntários e mobilizou as atenções do país. Ela tinha sido vista pela última vez às 5h do dia 14 em uma câmera de segurança de um estabelecimento comercial. As imagens mostram ela saindo do local após comprar um kebab e de ter passado a noite com alguns amigos.

Os sapatos de Brjánsdóttir foram encontrados no porto de Hafnarfjordur, próximos ao local onde o navio, batizado de Polar Nanoq, estava parado. Próximo ao barco, por volta das 6h30 daquele dia, foi encontrado um carro rosa estacionado. Nele, os policiais afirmam que há sangue da jovem.

A Islândia tem uma taxa de apenas 1,8 assassinatos a cada 100 mil habitantes por ano em todo o país, a 3ª menor do mundo. Os assassinos, geralmente, são pessoas com transtornos mentais ou cometem os crimes após beberem muito. No Brasil, para se ter ideia, a taxa é de 11,3 mortes para cada 100 mil pessoas

Últimas de _legado_Mundo e Ciência