China condena teste de míssil norte-coreano

Já a Rússia, lamentou lançamento do míssil e, pediu que não sejam dados passos que possam levar a um escalada de tensão na região

Por O Dia

Pequim e Moscou - O governo da China condenou nesta segunda-feira o lançamento de um míssil de médio alcance realizado pela Coreia do Norte no domingo e pediu a todos os países envolvidos que assumam responsabilidades.

Em entrevista coletiva, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, manifestou a rejeição de seu país ao último teste balístico de Pyongyang, e pediu aos países envolvidos — Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão — que se abstenham de realizar ações que possam provocar uma escalada das tensões.

Foto divulgada pela Agência Central de Notícias da Coreia do Norte do teste nuclear feito no domingoKCNA / Divulgação

O porta-voz ignorou hoje a exigência de outros países para que a China pressione a Coreia do Norte e esperou em troca que os envolvidos no conflito "assumam sua responsabilidade" e trabalhem para conseguir uma solução "apropriada e pacífica".

Rússia lamenta teste

A Rússia expressou, nesta segunda-feira, preocupação pelo lançamento do míssil e pediu que não sejam dados passos que possam levar a um escalada de tensão. "Consideramos o lançamento do míssil realizado pela Coreia do Norte em 12 de fevereiro como um novo menosprezo às exigências contidas nas resoluções do Conselho de Segurança da ONU. Isso é lamentável e não pode deixar de causar preocupação", afirma uma nota da Chancelaria russa.

Ao mesmo tempo, Moscou pediu que "todas as partes interessadas não deem passos para ações que conduzam a uma escalada da tensão".

O Ministério das Relações Exteriores reiterou que a Rússia acredita na via política-diplomática como única para regular os problemas da península coreana, incluído o nuclear. "O caminho rumo à paz e à estabilidade na região passa pela renúncia ao confronto e a aplicação de esforços para melhorar a situação político-militar na Ásia Nordeste", conclui a nota.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência