Ex-presidente de campanha de Trump é suspeito de beneficiar governo de Putin

Paul Manafort trabalhou secretamente em um projeto que promovia os interesses do presidente russo

Por O Dia

Washington - O ex-presidente da campanha do presidente americano, Donald Trump, Paul Manafort, trabalhou secretamente para um bilionário russo para promover os interesses do presidente da Rússia, Vladimir Putin, há uma década e propôs um projeto ambicioso de estratégia política para minar a oposição anti-Rússia em toda as ex-repúblicas da União Soviética, informou nesta quarta-feira a Associated Press. O documento parece contradizer afirmações da administração de Trump e do próprio Manafort de que ele nunca trabalhou para os interesses russos.

De acordo com várias pessoas familiarizadas com pagamentos a Manafort e registros comerciais

Obtidos pela Associated Press, Manafort propôs um plano estratégico confidencial em junho de 2005 de que ele influenciaria a política, negócios e cobertura de notícias dentro dos EUA, Europa e as ex-repúblicas soviéticas em benefício do governo Putin, mesmo quando as relações EUA-Rússia sob o governo do presidente republicano George W. Bush ficou pior.

Ex-presidente de campanha de Donald Trump trabalhou secretamente promovendo os interesses do presidnete russo Vladimir PutinReprodução Internet

Manafort lançou os planos para o magnata russo do alumínio Oleg Deripaska, que era aliado bem próximo de Putin com quem Manafort eventualmente assinou um contrato de US$ 10 milhões em contratos anuais a partir de 2006, apontam os documentos. Manafort e Deripaska mantiveram uma relação comercial até pelo menos 2009, de acordo com uma pessoa familiarizada com o trabalho.

Os planos de Manafort foram apresentados em documentos que mostram memorandos de estratégia e registos de transferências de milhões de dólares. O trabalho realizado por Manafort, no entanto, não ficou totalmente claro.

A divulgação vem em meio a uma investigação do FBI se a campanha de Trump e seus associados tiveram ação coordenada com Moscou para influenciar nas eleições presidenciais. Manafort rejeitou as investigações dizendo serem politicamente motivadas e disse que nunca trabalhou para os interesses da Rússia. 

Últimas de _legado_Mundo e Ciência