Polícia britânica prende novos suspeitos relacionados ao ataques de Londres

Mais duas pessoas foram detidas. Até o momento, nove suspeitos estão sob custódia.

Por O Dia

Londres - A Scotland Yard, polícia metropolitana de Londres, informou nesta sexta-feira que efetuou mais duas prisões "significativas" ligadas ao ataque terrorista lançado em Londres na quarta-feira, o mais grave ocorrido na capital inglesa em mais de uma década.

Segundo a polícia, o nome de registro de Khalid Masood, o homem de 52 anos responsável pelo ataque nas cercanias do Parlamento britânico, era Adrian Russell Ajao.

Mark Rowley, principal autoridade de combate ao terrorismo do Reino Unido, declarou em entrevista coletiva que não há evidência de novas ameaças, mas ressaltou que investigadores ainda estão tentando determinar se o agressor tinha cúmplices.

"Nossa determinação é entender se ele agiu totalmente sozinho, inspirado talvez por propaganda terrorista, ou se outras pessoas o ajudaram", disse Rowley.

Nove pessoas estão agora sob custódia, e uma mulher foi libertada mediante pagamento de fiança, segundo Rowley. 

Polícia britânica efetuou prisões dois dias após o ataque terrorista próximo ao Parlamento. Reprodução/Fox News

Na quarta-feira, Masood atropelou pedestres na ponte de Westminster antes de bater o carro perto das grades do Parlamento e esfaquear um policial. Quatro pessoas foram mortas no ataque e pelo menos outras 50 ficaram feridas. O agressor foi abatido a tiros por policiais.

Duas pessoas continuam hospitalizadas em estado grave.

Ontem, o Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado, que seria uma resposta a ataques de uma coalizão liderada pelos EUA contra o grupo extremista. 

Terrorista Veterano

Um detalhe intrigou as autoridades: Masood tem 52 anos, idade acima da média dos soldados do Estado Islâmico, que pela manhã assumiu a autoria do ataque, via agência Amaq. 

Um policial explicou à CNN que “ter 52 anos é algo intrigante”. “Não se encaixa no perfil jovem, de 20 e poucos anos, comum em ‘lobos solitários’ do Estado Islâmico ou mesmo simpatizantes que agem por conta própria.

Ele já tinha sido condenado por agressões e posse de arma, mas não por questões relacionadas com o terrorismo. Autoridades britânicas tentam agora refazer seus passos. 

Nesta quinta de madrugada, a polícia revistou diversos domicílios em Birmingham (onde vivia Masood) e outros pontos do país, em uma investigação que envolveu centenas de agentes e na qual haviam sido detidas oito pessoas. 

A empresa de aluguel de veículos Enterprise confirmou que o veículo usado por Masood no atentado contra o Parlamento foi alugado em Solihull, ao sudeste de Birmingham.

Vítimas

As quatro vítimas são o policial britânico Keith Palmer, a mulher de origem espanhola Aysha Frade e o turista americano Kurt Cochran. Ontem à noite, um homem de 75 anos não resistiu aos ferimentos. Dos 29 feridos, 12 foram hospitalizados, e sete estão em estado crítico. 

Estado Islâmico envolvido no ataque

Nesta quinta-feira, a milícia terrorista Estado Islâmico assumiu a autoria do atentado. Segundo a agência DPA, porta-vozes do grupo informaram que a operação foi realizada por 'soldados' do EI. 

Com informações da Agência Estado

Últimas de _legado_Mundo e Ciência