Manifestantes ensinam a fazer 'bombas de fezes' para protestos na Venezuela

Arma já estaria sendo usada em algumas regiões, mas se tornou popular nas redes sociais para os próximos eventos

Por O Dia

Venezuela - O clima na sociedade venezuelana é tenso. Há quase 40 dias nas ruas, manifestantes da oposição ao governo de Nicolás Maduro agora pretendem usar uma nova e surpreendente arma: bombas de fezes.

Cartazes convocam manifestantes a jogarem 'bombas de fezes' em protestos contra o governo venezuelanoReprodução/Internet

De acordo com o jornal El País, os chamados "coquetéis puputov" tomaram conta das redes sociais após um confronto na cidade de Los Teques, capital do estado Miranda, perto de Caracas. Alguns policiais teriam sido alvo de um ataque com detritos, e, antes de deixar o local, teriam até vomitado de nojo.

A história não é confirmada, mas a lenda foi suficiente para que a ideia fosse disseminada. Alguns manifestantes estão dando instruções de como preparar uma mistura de água e fezes embalados em frascos de vidro. A Internet também é usada para propagar outros mecanismos de defesa, como armas de tintas e escudos feitos de madeira para proteger das bombas de gás lançadas pelas forças policiais.

Dezenas de mortes foram registradas até o momento. O governo diz que as manifestações são montadas por mercenários pagos que carregam armas de fogo. Algumas dessas mortes são atribuídas aos impactos diretos de gás lacrimogêneo contra as vítimas, mas o governo culpa os projéteis de armas artesanais de fogo.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência