Trump propõe corte de trilhões em gastos de assistência social

Cobertura médica seria muito afetada

Por O Dia

Washington - A primeira proposta orçamental do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi apresentada nesta terça-feira e inclui cortes drásticos de US$ 3,6 trilhões em dez anos a programas de assistência social e cobertura médica para cidadãos com menos recursos, com os quais prevê eliminar o déficit.

A proposta é mais uma declaração de prioridades políticas do que um documento econômico propriamente dito, já que ainda precisa passar pelo Congresso, que recebeu o texto hoje. Entre os principais afetados pelo plano de Trump está o Medicaid, programa que oferece cobertura médica aos cidadãos mais humildes e que será reduzido em US$ 610 bilhões.

O plano para o ano fiscal 2018, intitulado "Novos alicerces para a grandeza dos Estados Unidos" e que promete eliminar o déficit orçamental que se prevê no fechamento 2017 em 3,1% do Produto Interno Bruto (PIB) ao longo de uma década, prevê ainda aumentos de despesa na verba da Defesa e da Segurança de Fronteira.

"Já não vamos medir a compaixão pelo número de programas de assistência social e o volume gasto nisso. Precisamos de todo mundo indo na mesma direção", afirmou Mick Mulvane, diretor do Escritório de Gestão de Orçamento da Casa Branca. Mulvane insistiu que, através da agenda de redução do peso do governo será possível conseguir um crescimento médio sustentável ao longo da próxima década de 3% ao ano.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência