Por rodrigo.sampaio

Hon Kong - Um poderoso tufão atingiu Macau e Hong Kong nesta quarta-feira, deixando pelo menos três pessoas mortas, além de ruas inundadas, janelas quebradas, centenas de voos cancelados. Batizado de 'Hato', o vendaval penetrou 60 quilômetros no território de Hong Kong, distância suficiente para ser considerado uma ameaça direta pelo sistema de alerta de tempestades da cidade, antes de seguir rumo a oeste na direção da China, onde se enfraqueceu gradualmente. 

Tufão causou estragos em Hong Kong e MacauAFP

O serviço meteorológico da China informou que a tempestade tocou terra por volta do meio-dia (hora local) na cidade de Zhuhai, no delta do rio das Pérolas, na província de Cantão. Milhares de pessoas foram retiradas da área antes da chegada da tempestade, informou a agência estatal Xinhua. 

O tufão Hato causou problemas no fornecimento de energia em Macau, inclusive em famosos cassinos e em um hospital, onde geradores foram ligados. Três homens, com idades de 30, 45 e 62 anos, foram mortos em quedas e acidentes relacionados à forte chuva e às rajadas de vento. Outras duas pessoas estão desaparecidas, informou o governo de Macau. 

Hong Kong também registrou enchentes e feridos, mas sem mortes confirmadas. Autoridades meteorológicas locais elevaram o alerta de furacões para o nível 10, o mais alto, pela primeira vez em cinco anos. Por volta do meio-dia, Hato tinha ventos máximos sustentados de 126 quilômetros por hora, com rajadas de até 129 quilômetros por hora. 

A tempestade levou empresas, escritórios do governo, escolas e tribunais a fecharem as portas e a Bolsa de Hong Kong a suspender os negócios. As companhias aéreas cancelaram 450 voos e operadores de ferry interromperam serviços para Macau e cidades no delta do rio. O tufão derrubou árvores, virou latas de lixo e quebrou janelas em arranha-céus, o que lançou vidro quebrado pelas ruas de Hong Kong.

Você pode gostar