Protestos contra violência policial nos EUA chegam ao quarto dia

A indignação começou depois que um juiz de St. Louis absolveu um ex-oficial de Polícia das acusações de assassinato de um homem negro

Por O Dia

Chicago - Os manifestantes retornaram nesta segunda-feira, pelo quarto dia seguido, às ruas de St. Louis, no Missouri, em meio a protestos pelo último caso de um homem negro morto pelas mãos de um policial.

Dezenas de pessoas marcharam pacificamente, alguns segurando cartazes escritos "Black Lives Matter", pelas ruas centrais da cidade e em frente à Prefeitura. Centenas de manifestantes foram vão as ruas, desde sexta-feira, mas as marchas se tornaram violentas e causaram a prisão de mais de 10 ativistas.

A indignação começou depois que um juiz de St. Louis absolveu na sexta-feira o ex-oficial de Polícia Jason Stockley das acusações de assassinato de Anthony Lamar Smith, suposto traficante de drogas que morreu ao fim de uma perseguição policial em 2011.

Casos similares se repetiram em outras cidades do país, refletindo a dificuldade do sistema judiciário americano de condenar agentes de segurança envolvidos em mortes polêmicas.

St. Louis, com uma história de tensões entre a polícia e as comunidades negras, foi o centro nacional do difícil tema racial nos Estados Unidos depois do assassinato de Michael Brown por um policial em 2014. Apesar de terem havido enormes manifestações, o agente envolvido não foi acusado nem pela Promotoria local nem pela federal.

No entanto, o caso levou o Departamento de Justiça, na época sob o governo de Barack Obama, a investigar o departamento de polícia de St. Louis, que encontrou um padrão de violações dos direitos humanos.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência