Terremoto no México: dezenas de desabamentos e pelo menos 49 mortos

A maior parte das vítimas foram confirmadas na cidade de Morelos, onde pelo menos 54 pessoas morreram

Por O Dia

Cidade do México - Pelo menos 79 pessoas morreram e vários edifícios desabaram na capital do México, após um terremoto de 7,1 graus sacudir a cidade nesta terça-feira. Tragédia acontece no dia em que se relembra os 32 anos do terremoto que destruiu a cidade em 1985, quando pelo menos 10 mil pessoas morreram, na Cidade do México.

Tremor de 7%2C1 graus causa mortes e derruba prédios no MéxicoAFP

Até agora, autoridades locais confirmam que  vários edifícios desabaram, especialmente na zona sul da cidade. O presidente Enrique Peña Nieto, que estava fora da Cidade do México, anunciou seu retorno à capital para coordenar os trabalhos de resgate.

Até o momento, 16 mortes foram confirmadas na capital e a maior parte das vítimas estavam na cidade de Morelos, onde pelo menos 54 pessoas perderam suas vidas devido a intensidade do abalo sísmico, informou o governo do país.

"Convoquei o Comitê Nacional de Emergências para avaliar a situação e coordenar ações. O PlanMX foi ativado", escreveu o presidente no Twitter. O líder também mandou evacuar todos os hospitais com danos estruturais causados pelo tremor. 

Dezenas de prédios desabaram na capital mexicanaAFP

O sismo desta terça-feira, que acontece duas semanas depois de um outro terremoto com magnitude de 8,1 atingir o país,  ocorreu às 13h14 locais (15h14 de Brasília). O Instituto Sismológico do México havia indicado inicialmente o grau de 6,8, mas a magniturde foi atualizada para  7,1. O tremor teve seu epicentro localizado a 55 km da cidade de Puebla, perto da capital.

O Centro Geológico dos Estados Unidos (US Geological Survey) também estimou a magnitude do tremor em 7,1.

Desabamentos e evacuações

De acordo com a imprensa local, só na capital, cerca de 20 edifícios desabaram. A cidade ainda avalia os danos causados pelo terremoto.

O aeroporto da Cidade do México suspendeu as operações, informaram as autoridades em sua conta no Twitter. Enquanto isso, funcionários da Defesa Civil advertiam a população para o risco de vazamento de gás.

Vítimas contam que o pânico se instalou sobre a cidade no momento em que o abalo começou. "Estou consternada, não consigo conter o choro, é o mesmo pesadelo de 1985", disse, entre lágrimas, Georgina Sánchez, de 52 anos, chorando em uma praça da Cidade do México.

"Estava caminhando pela (rua) Colima e as janelas começaram a se mexer. Vi as pessoas correndo, começaram a gritar. Ficou muito feio. Não queria me aproximar de nenhuma árvore. Tive que me jogar no chão", complementou Leiza Visaj Herrera, de 27 anos.

Episodios anteriores

Em 7 de setembro passado, um terremoto de magnitude 8,1, o mais forte em um século no México, deixou 96 mortos e mais de 200 feridos no sul do país, especialmente nos estados de Oaxaca e Chiapas.

Em 19 de setembro de 1985, um terremoto matou mais de 10.000 pessoas na Cidade do México.

Na manhã desta terça-feira, as autoridades tinham feito uma simulação de sismo. A Cidade do México conta com um sistema de alertas que se ativa um minuto antes do sismo, mas jornalistas da AFP disseram que desta vez o alerta só foi ouvido no mesmo momento em que se sentiu o tremor.

Com informações da AFP


Últimas de _legado_Mundo e Ciência