Ampla vitória da coalizão de Shinzo Abe nas legislativas no Japão

A coalizão conservadora liderada pelo partido do primeiro-ministro nacionalista conquistou dois terços da Câmara Baixa

Por O Dia

Japão - O chefe do governo japonês, Shinzo Abe, obteve uma ampla vitória nas eleições legislativas antecipadas deste domingo, segundo pesquisas de boca de urna. A coalizão conservadora liderada pelo partido do primeiro-ministro nacionalista conquistou dois terços da Câmara Baixa, segundo estimativas da rede de televisão estatal NHK.

A coalizão, integrada pelo Partido Liberal Democrata (PLD, direita) de Abe e pelo partido Komeito (centro-direita), obteve ao menos 310 dos 465 assentos em disputa, indicou a NHK. Antes, segundo estimativas da rede privada TBS, baseadas nas pesquisas de boca de urna divulgadas depois das 20h locais (9h em Brasília), foi indicado que a coalizão de Abe conseguiria 311 assentos.

Premiê Shinzo AbeEfe

No poder desde o final de 2012, depois de um primeiro exercício fracassado em 2006-2007, Abe poderá permanecer no controle do país até 2021, superando o recorde de longevidade de um primeiro-ministro japonês.

Antes das eleições, sua coalizão contava com 318 assentos na câmara baixa do Parlamento, mas uma série de escândalos de favoritismo afetaram sua imagem e trouxeram consigo o risco de uma derrota nas legislativas, inicialmente previstas para dentro de um ano.

Assim, Abe, de 63 anos, decidiu em setembro dissolver o Parlamento e convocar eleições antecipadas, aproveitando que a oposição se encontra muito fragmentada.

Com sua maioria confortável, Abe conseguirá ainda mais legitimidade em sua firmeza a respeito da Coreia do Norte, que já lançou dois mísseis sobre o arquipélago japonês. O primeiro-ministro é favorável à posição dos Estados Unidos de "manter todas as opções" na mesa, inclusive militar, contra Pyongyang.

"Minha missão imediata é agir com firmeza com a Coreia do Norte. Para isso, uma diplomacia forte é necessária. Vou reforçar nosso poder diplomático após a confiança depositada por vocês", declarou Abe a um canal de televisão no domingo à noite.

 

Últimas de _legado_Mundo e Ciência