Trump defende relação com Rússia e diz que China pressionará Coreia do Norte

Presidente norte-americano e o líder do Kremlin participaram de cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) no Vietnã

Por O Dia

Vietnã - Em sua turnê asiática, o presidente americano, Donald Trump, defendeu neste domingo a utilidade de uma boa relação com a Rússia e enalteceu os resultados de sua recente visita à China, garantindo que Pequim endurecerá as sanções contra a Coreia do Norte.

Em declarações à imprensa, ou retomando seus tuítes habituais, Trump destacou os desmentidos de seu colega russo, Vladimir Putin, sobre as acusações de ingerência russa na campanha eleitoral dos Estados Unidos, dando a entender que o considera sincero.

O presidente dos Estados Unidos%2C Donald Trump participa de jantar de gala com líderes filipinos%2C Rodrigo Duterte e Honeylet AvancenaAFP

"Me disse que, de modo algum, se intrometeu nas nossas eleições", declarou Trump aos jornalistas que o acompanhavam no avião presidencial Air Force One rumo a Hanói. Segundo Putin, são "fantasias".

"Tudo o que está ligado ao suposto caso de ingerência russa nos Estados Unidos está ligado à luta política interna nesse país", declarou Putin em Danang, onde participou da cúpula da Apec.

No Congresso dos EUA, os chefes dos serviços de Inteligência americanos afirmaram que a Rússia havia tentado influenciar a campanha presidencial para favorecer Trump.

No sábado (11), inclusive, o diretor da Agência Central de Inteligência (CIA), Mike Pompeo, manteve suas acusações sobre a ingerência de Moscou na campanha eleitoral dos Estados Unidos.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência