Sadia usa Copa para incrementar vendas de food service

Além da campanha com metas e prêmios aos bares das cidades-sede do Mundial, marca da BRF lançou dois produtos para esse segmento

Por O Dia

“Nosso objetivo é crescer com o cliente e gerar fidelização da marca"%2C diz a gerente executiva de Food Services da BRF%2C Sabrina GamaDivulgação

A BRF Food Services — divisão focada no mercado de alimentação fora de casa — está apostando em uma série de ações na Copa do Mundo para fidelizar seus clientes do segmento e também aumentar os canais de comunicação com o consumidor final. Foram escolhidos 600 bares das cidades-sede do mundial nos quais os produtos da fabricante entram como ingrediente dos quitutes.

“Somos patrocinadores da Seleção e tínhamos que aproveitar o momento e abrir novos canais, então pensamos em atuar em bares, porque as pessoas que não estiverem em casa, estarão lá para ver os jogos”, diz a gerente executiva de Food Services da BRF, Sabrina Gama.

Para o professor do Ibmec-RJ, Jorge Bittencourt, cresce a preocupação das marcas de que é preciso incluir o cliente intermediário nas ações para atingir com mais efetividade o consumidor final. “A consciência da importância do marketing sensorial e de que a confiabilidade da marca passa por todas as suas etapas de consumo só aumenta”, explica.

Na campanha chamada de #jogapramim, a marca personalizou os pontos de venda usando as cores da Seleção com materiais desenvolvidos para a ação. Na primeira fase, foram criadas metas para cada estabelecimento de acordo com seu tamanho e seu potencial. Os pontos que atingiram as metas já receberam materiais como portas-guardanapos e aventais para customizar seus espaços.

Em uma segunda etapa, foram criadas novas metas e os clientes ganharam novos prêmios, como uma camisa oficial da Seleção autografada pelo Felipão. Na etapa em andamento, as premiações são em dinheiro. Além disso, nos jogos da Copa, a Sadia também está realizando uma ação especial: o Bolão Sadia, blitz com promotores da marca em bares e restaurantes em São Paulo e no Rio na hora dos jogos. Um quadro de apostas é montado e os clientes podem dar palpites sobre o resultado. Quem acertar recebe prêmios customizados.

“Nosso objetivo é crescer com o cliente e gerar fidelização da marca, para termos a garantia de que estamos investindo em um local que vai continuar comprando nosso produto”, ressalta Sabrina. A divisão de food services já é responsável por 10% do faturamento da BRF e, segundo a executiva, tem mais espaço para crescer do que o varejo. “Temos metas desenhadas até 2017, mas nossa ambição é incrementar as vendas em 15% já no ano que vem”, antecipa a executiva.

Além das ações, a empresa lançou dois produtos para o portfólio de food services, que já conta com 200 itens. Os produtos — frango à passarinho e Batata Wedgest — têm como foco os bares e foram desenvolvidos após uma pesquisa encomendada pela BRF para o instituto Okno, que identificou os petiscos mais pedidos em bares. “Estamos definindo o portfólio ideal para cada tipologia do food service”, explica Sabrina.

Últimas de _legado_Notícia