L’Oréal prevê outras aquisições depois da NYX Cosmetics

Com os acordos realizados desde janeiro, a maior fabricante de cosméticos do mundo terá gasto mais de US$ 5 bilhões neste ano

Por O Dia

A L’Oréal SA, a caminho de gastar mais de US$ 5 bilhões em aquisições no primeiro semestre de 2014, pode estar só começando.

“Temos certeza de que encontraremos outras oportunidades neste ou no próximo ano”, disse Jean-Paul Agon, CEO e presidente do conselho da empresa com sede em Paris, quinta-feira à noite em entrevista à Bloomberg Television. “Essa é a história da L’Oréal”.

Quinta-feira a L’Oréal, a maior fabricante de cosméticos do mundo, decidiu comprar a NYX Cosmetics, com sede em Los Angeles, por um valor não divulgado, para reforçar suas ofertas de maquiagem na América do Norte, onde a unidade de produtos para o consumidor tem perdido força. A NYX, com US$ 93 milhões em vendas neste ano até março, não é indicativa do tamanho dos acordos que interessam à L’Oréal, disse Agon, sem dar mais detalhes.

“Achamos que era uma ótima oportunidade e aproveitamos”, disse Agon, acrescentando que a L’Oréal foi contactada pela NYX. “Somos muito bons em aproveitar marcas que estão nos estágios iniciais de desenvolvimento e torná-las enormes”.

O mercado de cuidado pessoal está se consolidando enquanto empresas como a Henkel AG, da Alemanha, e a Kose Corp., do Japão, compram marcas de nicho para ampliar suas gamas de produtos. Desde janeiro, a L’Oréal adquiriu a fabricante de máscaras faciais Magic Holdings International Ltd. e as marcas de spa Decléor e Carita. Incluindo a recompra de 8% de suas ações controladas pela Nestlé, que poderá ser definida neste mês, a L’Oréal terá gasto mais de US$ 5 bilhões em acordos neste ano.

Delineadores NYX

Fundada em 1999, a NYX vende blushes por US$ 6 e delineadores por US$ 10 em mais de 70 países, de acordo com seu site. A concorrente da MAC Cosmetics da Estée Lauder Cos. disse que é uma das empresas de maquiagem que mais rapidamente cresce nos EUA. As vendas aumentaram 57 por cento nos 12 meses que finalizaram em maio, disse a L’Oréal.

A NYX é um exemplo típico das “pequenas aquisições que a L’Oréal tende a realizar”, disse Bassel Choughari, analista da Berenberg em Londres, em entrevista por telefone. A L’Oréal pode gerar valor para os acionistas ao ampliar a distribuição da marca internacionalmente, disse ele.

“A NYX teve um enorme crescimento na última década e tenho certeza absoluta de que a L’Oréal continuará fiel à identidade e à missão da marca”, disse Toni Ko, fundadora e presidente do conselho da NYX, hoje em uma declaração. A NYX continuará operando sob o comando da equipe de liderança atual, disse a L’Oréal.

Previsão da L’Oréal

Agon não quis comentar o desempenho da L’Oréal no segundo trimestre antes de uma atualização no próximo mês. Enquanto a América do Norte esteve lenta desde o início do ano, ele disse estar “confiante em relação aos EUA e aos ganhos de participação no mercado”.

As vendas na divisão de produtos ao consumidor da L’Oréal caíram na América do Norte durante o primeiro trimestre, o que contribuiu para o menor aumento trimestral da empresa desde a recessão. As vendas regionais na unidade, que inclui o xampu Garnier, voltarão a crescer neste trimestre e vão acelerar em todo 2014, disse a L’Oréal.

O sul da Europa, onde a L’Oréal registrou um ganho nas vendas pela primeira vez em seis anos durante o primeiro trimestre, “poderia se tornar novamente uma região de crescimento”, disse Agon. “A Europa está de volta”.

O crescimento da renda da L’Oréal no ano inteiro deve exceder a expansão de 3,5 por cento a 4 por cento estimada para o mercado de cosméticos em 2014, disse Agon, repetindo uma previsão anterior.

Últimas de _legado_Notícia