Por douglas.nunes

O gigante americano da distribuição on-line Amazon deixou de receber pedidos antecipados de filmes da Disney antes de sua comercialização efetiva, abrindo, assim, uma nova frente contra um de seus fornecedores, informou nesta segunda-feira o Wall Street Journal.

A Amazon já recorreu a este método em várias ocasiões, entre outros contra os estúdios Warner. Embora este último conflito tenha sido solucionado, o mesmo não ocorre como a disputa da Amazon com a editora francesa Hachette, que se intensificou neste fim de semana.

Ao restringir os pedidos antecipados, a Amazon pode exercer uma influência importante sobre o futuro comercial de um vídeo.

O grupo americano, cuja rentabilidade é baixa e que lançou há alguns dias uma advertência sobre seus resultados, quer, assim, obter uma melhor divisão das receitas com as editoras e os estúdios.

A Amazon pediu no sábado que os leitores se posicionem em seu conflito com a editora Hachette Book Group (HBG), filial americana do grupo francês Lagardère.

Para isso, o distribuidor on-line não hesitou em divulgar em uma carta, publicada no site www.readersunited.com, o e-mail do presidente da HBG, Michael Pietsch.

Encorajou os leitores a escrevê-lo para fazer pressão sobre o conflito comercial que já dura mais de cinco meses. A Amazon sugere, entre outras coisas, que a Lagardère acordou fixar os preços dos livros eletrônicos em um nível artificialmente alto.

Você pode gostar