TVs buscam mais conexão com o consumidor

Fabricantes de Smart TVs ampliam foco em interação e nas parcerias de conteúdo para melhorar experiência dos usuários

Por marta.valim

Na era do consumo fragmentado em múltiplas telas, a TV já não reina soberana como o centro de entretenimento nos lares brasileiros e mundo afora. Principal alternativa para se adaptar a essa realidade, as chamadas TVs conectadas vivem um momento de renovação nas estratégias dos fabricantes, após um período marcado pela frustração no atendimento aos novos comportamentos do consumidor. Em meio aos esforços para entregar recursos verdadeiramente interativos, a aproximação com produtores de conteúdo é um dos fios condutores dessa nova guinada.

Uma das apostas da LG é o lançamento recente de Smart TVs com o sistema operacional WebOs. Buscas por voz, o uso do controle remoto muito similar ao de um mouse de computador e a possibilidade de o usuário personalizar sua tela e navegar por qualquer conteúdo com poucos cliques — da TV aberta aos aplicativos de interesse geral e os serviços de vídeo sob demanda — são alguns dos recursos oferecidos. “Nosso foco é simplificar a plataforma, para realmente entregar uma experiência interativa ao usuário”, diz Rogério Molina, gerente de produtos de TV da LG.

Dados de uma pesquisa global da LG apontam que 53% dos consumidores que possuem uma TV conectada não sabem como usar o aparelho. Desse montante, 75% disseram que as interfaces são complicadas demais. Para Molina, outro fator contribuiu para que as TVs conectadas não atendessem às expectativas dos usuários: o avanço dos smartphones e a prioridade de fabricantes, desenvolvedores de aplicativo e produtores de conteúdo para este dispositivo. “A Smart TV ficou sempre à sombra dessas estratégias e era vista apenas como um recurso das TVs, e não como uma plataforma que demanda conteúdos e aplicativos específicos”, afirma. Para superar essa barreira, a LG vem costurando acordos com produtores de conteúdo, para o desenvolvimento “a quatro mãos” de aplicativos que explorem todos os recursos da nova plataforma.

A Samsung também está nessa toada. Tanto que criou com o canal esportivo ESPM um aplicativo que tem entre seus recursos a possibilidade de o espectador definir o time de preferência. A partir dessa escolha, o aplicativo passa a selecionar e atualizar automaticamente vídeos e notícias do clube em questão.

Outro exemplo são projetos com portais de notícias. Neles, o usuário pode assistir a qualquer conteúdo, ao mesmo tempo em que recebe notícias por meio de uma barra na tela. Caso queira ter mais detalhes sobre o conteúdo, basta clicar para que um texto e/ou vídeo surja em um novo quadro.

A Samsung enxerga boas perspectivas na ascensão de duas vertentes: os serviços de vídeo sob demanda e o padrão 4K. Para a fabricante coreana, nessa fase de transição e de pouca infraestrutura de entrega para o 4K, as Smart TVs estão sendo uma porta de entrada para a nova tecnologia.

A interação com outros dispositivos e os aplicativos de segunda tela são outras táticas para driblar as restrições de interface. “A convergência da TV com múltiplos dispositivos vai ser a grande tendência dos aplicativos para as Smart TVs”, diz Ana Claudia Beltrão, gerente de projetos do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, um dos parceiros da Samsung para a concepção, testes e validação de novas tecnologias para as TVs da marca. “A capacidade de processamento da TV ainda é bem menor do que a dos smartphones. O grande desafio é trabalhar com imagens pesadas e que ainda interagem com o controle”, diz Ana.

A convergência é um dos motes da Sony. Assim como outras rivais, a fabricante criou aplicativos que permitem usar o smartphone como um controle da TV e, ao mesmo tempo, transferir qualquer conteúdo do aparelho para a Smart TV da marca. “O usuário também tem acesso a toda a programação dos canais abertos e fechados. Ele consegue programar um alarme para o horário de uma atração de interesse e, no horário definido, o smartphone liga a TV imediatamente no canal em questão”, explica Lúcio Pereira, gerente de Marketing Digital da Sony. A empresa também oferece um recurso pelo qual o usuário acessa diretamente pela TV as fotos e vídeos produzidos em um smartphone.

Com 40% de seus acessos globais feitos fora dos PCs, o YouTube também vem apostando na interação. O site tem uma função que permite enviar um vídeo que está sendo visto em um smartphone diretamente para a TV. O YouTube também lançou um recurso que permite a entrega de conteúdo em alta definição e em 4K com metade da banda. “Estamos adaptando nossa plataforma para que o usuário tenha a melhor experiência em qualquer ambiente de internet”, diz Diego Higgins, gerente de Parcerias do YouTube na América Latina. “Com as novas TVs que estão sendo colocadas no mercado, esse trabalho será facilitado.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia