Serasa Experian amplia oferta além dos serviços financeiros

Empresa reforça atuação em marketing, análise de dados e certificação digital para expandir os serviços no Brasil

Por O Dia

Rio - Sete anos após sua aquisição pela irlandesa Experian, a Serasa lembra pouco a empresa que se tornou sinônimo de serviços de proteção ao crédito no país. Embora essa área de negócios continue a ser seu carro-chefe, a Serasa Experian reforçou sua atuação nos segmentos de marketing, certificação digital e análise de dados (inclusive big data). Dentro de uma estratégia de diversificação, a companhia reforçou suas operações como forma de acelerar o crescimento no Brasil, que no ano fiscal de 2014, terminado em 31 de março, respondeu por 17% do faturamento global da Experian.

“Abraçamos o ciclo de negócios das empresas do início ao fim. Trabalhamos desde o planejamento de marketing até o disparo dos e-mails da campanha”, exemplifica Juliana Azuma, superintendente de Marketing Services da Serasa Experian. O arsenal de serviços da companhia inclui desde ferramentas de segmentação de consumidores até softwares que permitem mensurar o resultado de campanhas de marketing digital e monitorar a concorrência.

Ainda na fase de soft launch (lançamento progressivo), a plataforma AdTruth — que permite identificar se um internauta está acessando a web via dispositivo móvel — será lançada oficialmente no país neste segundo semestre. A informação sobre o uso de dispositivos móveis é particularmente relevante para os varejistas, já que nos desktops e laptops é possível identificar o usuário por meio de cookies, o que não acontece nos smartphones.

A opção por um mix mais variado de negócios está longe de indicar um desaquecimento no mercado de serviços de crédito, sustenta Vander Nagata, superintendente de Serviços de Informação sobre Consumidores da Serasa Experian. Diariamente a empresa responde a seis milhões de consultas online, em tempo real. “O mercado brasileiro ainda atravessa um ciclo inicial de maturidade em termos de serviços de crédito”, afirma Nagata. “O boom do crédito tem menos de dez anos no país. O que vemos hoje é uma maturidade maior na concessão do crédito. As instituições querem emprestar melhor.”

Segundo o executivo, a mudança passa também por uma maior preocupação com a gestão e a rentabilização da base de clientes, o que abriu espaço para uma gama maior de serviços, incluindo marketing e análise de dados. Uma das apostas da empresa são as ferramentas de cross-channel marketing, que permite a veiculação de diversas campanhas em canais distintos. A publicidade pode chegar ao consumidor por SMS, e-mail e mensagens instantâneas em redes sociais, por exemplo. “Não estamos necessariamente restritos ao marketing digital”, esclarece Juliana. “Também trabalhamos com empresas de mídia off-line”. No portfólio de clientes da divisão de serviços de marketing da Serasa Experian estão grandes empresas financeiras, operadoras de telefonia e redes varejistas. A intenção não é atrair apenas companhias de grande porte, mas também as pequenas e médias.

Entre as operações internacionais do grupo, que se estendem por 39 países, o Brasil ocupava a terceira posição em termos de receita, atrás apenas de Estados Unidos e Reino Unido no período de 12 meses terminado em março. No período, a receita no país alcançou US$ 819 milhões, uma queda de 5,4% em relação aos US$ 866 milhões obtidos no ano fiscal de 2013. No ano passado, o Brasil era o segundo no ranking, à frente do Reino Unido. Em termos globais, a receita da Experian cresceu de US$ 4,73 bilhões, em 2013, para US$ 4,84 bilhões, neste ano fiscal, um avanço de 2,3%.

No caso específico do Brasil, os principais fatores que afetaram negativamente o desempenho da companhia foram a depreciação do real frente ao dólar americano e a desaceleração econômica, que levou varejistas a cortarem a atividade de prospecção de clientes. As informações constam dos resultados preliminares do ano fiscal de 2014 divulgados pela Experian no último mês de maio.

Últimas de _legado_Notícia