Por marta.valim

O mercado exportador vem ganhando espaço nos planos de negócios das micro, pequenas e médias empresas. Um estudo realizado pela RGX Global Export Network, a pedido da UPS, empresa global do setor de logística, mostra que a maioria dos executivos das PMEs entrevistados criaram um grupo especializado dedicado à exportação ou um departamento de comércio exterior dentro de suas estruturas. A pesquisa foi feita em oito países — Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, México, Panamá e Peru — e foram ouvidas cinco empresas por nação. O principal mercado destas empresas nestes países é o norte-americano. O objetivo do trabalho, segundo Nadir Moreno, presidente da UPS Brasil, foi entender melhor o novo momento do setor.

“O foco do relatório é fornecer uma visão das melhores práticas de exportação implementadas por pequenas e médias empresas de sucesso na região, nas áreas de planejamento e inovação, produtos, canais de distribuição, promoção e comunicação, bem como precificação e financiamento. São empresas que de 2010 a 2013 tiveram um aumento de mais de 50% em sua atividade exportadora. Além disso, já atingiram quatro mercados de destino, com até 200 trabalhadores em sua operação”, diz ela.

O estudo mostra que a maioria dos entrevistados entende que o prazo de entrega de mercadorias embarcadas é fundamental para o desenvolvimento das vendas, por isso eles indicaram o uso de opções multimodais para enviar suas remessas (transporte terrestre, aéreo e marítimo). Não cumprir prazos significa perder negócios e esta lição de casa as empresas de menor porte já estão fazendo.

Bancos públicos e privados são os meios de obtenção de financiamento do segmento em todos os países consultados na pesquisa. Quando há dificuldades de acesso ao crédito, as empresas procuram as entidades de promoção a exportação de cada país. No Brasil, o BNDES financia micro, pequenas e médias empresas exportadoras, basicamente da indústria de transformação (95%). São produtos nos segmentos têxtil, confecções,vestuário e acessórios, borracha e plástico, equipamento de informática, eletrônico e ótico, máquina e aparelho elétrico, veículo, reboque e carroceria, móveis, entre outros. Segundo o banco, em 2013 o BNDES desembolsou US$ 7,1 bilhões em financiamentos totais a exportações. Desse total, US$ 75 milhões foram para PMEs. Em 2014, até junho, os desembolsos do BNDES às exportações somaram US$ 1,3 bilhão, sendo US$ 24 milhões para esse segmento.

“As empresas estão entendendo a importância de estudar os mercados, conquistar certificados de qualidade e investir em inovação, marca, comunicação e financiamento” afirma Nadir.

Você pode gostar