Por marta.valim

A sul-coreana Samsung reforçou sua aposta nos dispositivos “vestíveis” com mais dois lançamentos ontem, durante a feira de eletrônicos IFA, na capital alemã. O relógio inteligente Samsung Gear ganhou mais uma versão — a sexta, num período de um ano — mas, em termos de novidade, o smartwatch foi ofuscado pelo Samsung Gear VR, uma espécie de visor que permite ao usuário experimentar conteúdos de realidade virtual. A empresa vem buscando também associar seus produtos a marcas do segmento de luxo, como Montblanc e Swarovski.

Com os lançamentos em Berlim, que também incluíram os novos aparelhos Samsung Note 4 e Edge, a empresa busca reverter a queda nas vendas e no lucro registrada no segundo trimestre deste ano. Em relação ao mesmo período de 2013, o lucro líquido caiu 19,6%, enquanto as vendas sofreram retração de 9% na comparação anual.

Primeiro passo da sul-coreana no universo da realidade virtual com foco no consumidor final, o Gear VR foi desenvolvido em conjunto com a americana Oculus. A companhia pertencente ao Facebook foi responsável por desenhar a plataforma móvel do dispositivo.

Já a tela de 5,7 polegadas em que aparecem as imagens de alta qualidade é a do Note 4, smartphone com tamanho de um tablet pequeno. O celular é encaixado num tipo de fone que o usuário coloca na cabeça. A Samsung espera alavancar as vendas do produto por meio de parcerias com produtores de conteúdo — a lista inclui Marvel, Warner Bros. e Cirque du Soleil Media.

Enquanto a Apple prepara o lançamento do seu primeiro smartwatch, previsto para o próximo dia 9 de setembro, a Samsung investe numa nova versão do Gear S, agora com conexão 3G. O relógio permite ao usuário receber notificações de e-mails, redes sociais e aplicativos diversos, mesmo quando está afastado do telefone. Também é possível fazer chamadas usando apenas o relógio ou conectando-o ao celular. A ideia é manter o usuário conectado 100% do tempo, inclusive enquanto dorme (o gadget avalia a qualidade do sono), se exercita (há funções relacionadas à área de saúde) ou procura o carro no estacionamento (o GPS embutido ajuda a encontrar o veículo perdido). Mas, ao que tudo indica, a empresa ainda terá de redobrar seus esforços para convencer o usuário da real necessidade de adquirir um Gear S: no pulso, a tela curva de duas polegadas ainda é pouco prática e um tanto espalhafatosa, embora o acabamento do produto seja mais caprichado do que o das versões anteriores.

De olho em consumidores com uma queda pelo luxo, a Samsung e a austríaca Swarovski puseram no mercado mais um acessório decorado com os cristais, uma pulseira para o Gear S. A sul-coreana também abriu espaço para os primeiros passos da alemã Montblanc no segmento de tecnologia. A fabricante alemã de canetas, que também tem em seu portfólio relógios e joias, anunciou suas duas primeiras canetas digitais, para uso em tablets e celulares. O lançamento foi feito em conjunto com o Note 4. Embora o usuário possa utilizar os dedos para substituir a caneta, a Samsung frisa que o acessório permite utilizar com mais precisão e facilidade as funções do Note 4. O aparelho, aliás, já vem equipado com sua própria caneta, a S Pen. O Note 4 é mais uma cartada da Samsung no mercado de aparelhos com tela grande, que vem ganhando espaço àmedida em que os consumidores utilizam seus celulares cada vez mais para ler, editar textos e ver filmes, em vez de fazerem apenas chamadas telefônicas. O Samsung Note Edge, por sua vez, tem tela um pouco menor (5,6 polegadas) do que o Note 4, mas ainda assim relativamente grande.

Você pode gostar