Greve na Air France cancela 60% dos voos

Paralisação provocada por polêmica filial de baixo custo deve continuar na quarta

Por O Dia

Uma enorme greve da companhia aérea Air France entrou nesta terça-feira no segundo dia consecutivo, com 60% dos voos cancelados, enquanto prosseguem as negociações entre a direção e os sindicatos sobre o polêmico desenvolvimento de uma filial de baixo custo.

Depois de ter realizado menos de 50% dos voos programados para segunda-feira, a Air France anunciou que seis de cada 10 de seus aviões permanecerão em terra nesta terça-feira. Na quarta-feira, a situação será similar, com 60% de voos cancelados, segundo um porta-voz da companhia.

Ainda não há uma saída para a crise, reconheceu o presidente da Air France, Frederic Gagey, à rádio francesa Europe 1. "Seguimos negociando. Fizemos propostas", acrescentou.

Os líderes do grupo Air France-KLM haviam se reunido na noite de segunda-feira com os sindicatos majoritários (SNPL, AF, Alpa), que convocaram esta greve até 22 de setembro.

Os sindicatos de pilotos temem que os projetos de desenvolvimento da filial 'low cost' da Air France, Transavia, tanto na França quanto no exterior, possam afetar os empregos da companhia matriz.

Efetivamente, as centrais denunciaram que o projeto da direção sobre a companhia de baixo custo é uma porta aberta à "externalização dos empregos" dos pilotos, e um "dumping social".

A Air France, que considera este projeto essencial para o desenvolvimento do grupo, já propôs em agosto um plano de aposentadorias voluntárias para 200 dos 3.760 pilotos da companhia.

A greve, se durar até 22 de setembro, será a mais longa dos pilotos da Air France desde 1998. A direção estima que custará entre 10 e 15 milhões de euros por dia.

Últimas de _legado_Notícia