Por douglas.nunes

Os consumidores chineses terão sua primeira chance hoje, após uma proibição de 14 anos, de comprar consoles de videogame legalmente com a chegada do Xbox One, da Microsoft Corp., a 4.000 lojas do país. O problema é que, por causa de restrições impostas pelo governo, nenhum dos títulos mais populares do aparelho estará disponível.

A Microsoft foi o primeiro grande player do setor a começar a produção na China, à frente da Nintendo Co. e da Sony Corp. Contudo, a produtora do Xbox terá como clientes uma geração que aprendeu a jogar com smartphones e tablets e não com consoles. E também terá que lidar com o obstáculo de ter apenas 10 títulos disponíveis entre as centenas lançadas para o console. Os órgãos reguladores estão atentos ao conteúdo violento e entre os jogos ausentes estão Destiny e Call of Duty: Advanced Warfare Day Zero Edition.

O desempenho do Xbox na China, onde o distanciamento dos jogadores ocasionais das máquinas só para jogos é mais acentuado, pode mostrar se o país mais populoso do mundo será capaz de ajudar a mudar a sorte das fabricantes de consoles. Estima-se que as vendas de videogames no país atinjam 111 bilhões de yuans (US$ 18 bilhões) neste ano.

“Eles terão que acompanhar essa jogada com um bom conteúdo”, disse Brian Blau, analista da empresa de pesquisas Gartner Inc., em referência à biblioteca de jogos da Microsoft na China. “Ser o primeiro a passar pelo portão é algo que será lembrado. É para se orgulhar”.

A China proibiu os consoles em 2000 -- um ano antes de o primeiro Xbox ser vendido -- para proteger os jovens da violência e da influência corruptora percebida nos jogos de videogame. Isso criou uma geração acostumada a jogar on-line, que agora opta cada vez mais por aplicativos em seus dispositivos móveis.

Ministério da Cultura

A China retirou a proibição em janeiro e determinou que o Ministério da Cultura e outros órgãos do governo precisariam estar envolvidos de perto na regulação do conteúdo para os aparelhos.

Os títulos disponíveis para jogadores chineses são, em sua essência, livres de violência gráfica. Entre eles estão Forza Motorsport 5, Kinect Sports Rivals e Zoo Tycoon.

Os títulos Halo: The Master Chief Collection, Destiny e o mais recente da série Call of Duty figuram entre os 10 títulos mais vendidos do console nos EUA listados na Amazon.com, mas continuam indisponíveis na China.

Um jogo exclusivo para o mercado da China é Naughty Kitties, da produtora local Coconut Island.

A Microsoft e a parceira BesTV New Media Co. estão trabalhando em uma linha de produção de mais de 70 títulos para esse mercado, incluindo jogos como Halo e Killer Instinct, disse a porta-voz da Microsoft, Steffi Cao.

Preço único

O aparelho será vendido na China por 4.299 yuans (US$ 700) com o controlador Kinect, que tem sensor de movimento. Como comparação, nos EUA a mesma combinação é vendida por US$ 499,99.

“O preço do hardware não será o problema”, disse Lisa Cosmas Hanson, sócia-gerente da Niko Partners. “O problema são os jogos, a disponibilidade de grandes jogos AAA”.

Para as fabricantes estrangeiras de consoles, a atratividade é óbvia. As vendas de videogames saltarão 39 por cento neste ano, para cerca de 111 bilhões de yuans, estima Nick Ning, analista da 86Research Ltd. em Xangai.

Embora os consoles fossem proibidos no país mais populoso do mundo, isso não impediu que o mercado ilegal atendesse as necessidades dos jogadores que os desejavam, disse Ning. Os consoles vendidos no mercado negro na China não enfrentam restrições do governo ao conteúdo e, portanto, permitem mais acesso ao que os jogadores mais viciados querem, disse ele.

A censura gera desafios até mesmo nos menores detalhes, determinando, por exemplo, que o sangue precisa ser roxo e não vermelho. Isso pode causar problemas com os criadores de conteúdo, disse P.J. McNealy, CEO da Digital World Research.

“O lançamento de qualquer console demandará um esforço longo e combinado”, disse McNealy. “Alguns produtores podem realmente ficar relutantes em relação a algumas das regras impostas sobre suas escolhas para desenvolvimento de jogos. Isso certamente não ajuda”.

Você pode gostar