Por bruno.dutra

São Paulo -  A Embraer teve prejuízo líquido no terceiro trimestre, revertendo resultado positivo obtido um ano antes, diante de menor resultado operacional e despesas mais elevadas com impostos.

Entre julho e setembro, o prejuízo líquido atribuído aos acionistas da fabricante de aeronaves foi de R$ 24,3 milhões, ante lucro líquido de R$ 118,7 milhões em igual etapa de 2013.

No período, as receitas líquidas da companhia caíram 3,9% na comparação anual, a R% 2,8 bilhões, em função de um menor número de entregas de jatos executivos aliado ao mix de entregas de aeronaves comerciais, disse a Embraer. O desempenho foi parcialmente compensado por crescimento de 29% na receita do segmento voltado a equipamentos para defesa.

Em meados de outubro, a Embraer já havia divulgado a entrega de 19 aviões comerciais e 15 jatos executivos no terceiro trimestre, com o total de 34 aviões ficando abaixo dos 44 despachados no mesmo trimestre do ano passado.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da companhia teve recuo anual de 13,2% no período, a R$ 311,3 milhões, com a margem Ebitda caindo de 12,2% para 11%.

A última linha do balanço da companhia também foi afetada por uma despesa de imposto de renda mais elevada, de R$ 178,6 milhões no trimestre, sobre R$ 58,7 milhões um ano antes.

Segundo a Embraer, a elevação ocorreu em função do efeito da variação cambial ocorrida no trimestre, "que gerou uma maior despesa de imposto de renda e contribuição social sobre itens não monetários em relação ao mesmo período do ano anterior".

Em relatório sobre os resultados, a companhia indicou que suas estimativas para o ano, publicadas em fevereiro, permanecem inalteradas.

Na época, a Embraer previu uma margem Ebit (de lucro antes de juros e impostos) de 9% a 9,5% no ano. No terceiro trimestre, essa margem recuou de 5,9% 5,6%, na comparação anual. Já para a margem Ebitda, a empresa previu atingir de 13% a 14% em 2014.

Para as entregas, a Embraer projetou de 92 a 97 jatos comerciais, enquanto para a aviação executiva, a estimativa foi de uma entrega total de 105 a 120 jatos leves e grandes no ano.

No acumulado do ano até setembro, o total de entregas chegou a 126 unidades aeronaves, sendo 62 comerciais e 64 executivas, contra 124 em igual intervalo de 2013.

Você pode gostar