Paredes de vidro dão fôlego a um mercado estagnado

Módena vende 50% do seu empreendimento com paredes de vidro em dez dias. Companhia planeja forte expansão nos próximos anos

Por O Dia

Rio - Incorporadoras e construtoras têm que se reinventar para correr contra a maré, em um mercado imobiliário que amarga grandes estoques. Esse é o caso da Módena Incorporadora. Criada em 2012, a empresa aliou tecnologia, inovação e sofisticação, e lançou o Glass, empreendimento com paredes de vidro, em Alphaville (SP).

Atualmente, há uma grande demanda na região por apartamentos menores, que possuam elevada liquidez e alto valor de venda. No caso do Glass, cada unidade pode sair por cerca de R$ 430 mil, estando o valor estimado do m² em torno de R$ 6.500. O VGV (Valor Geral de Vendas) esperado para o empreendimento é de R$ 70 milhões.

“Quando compramos um terreno, estudamos o seu redor com cuidado. Então, nesse caso, resolvemos valorizar a vista. Nossa inspiração foram residenciais de cidades como Nova York e Londres, locais em que as paredes de vidro são comuns nesse tipo de empreendimento”, diz o diretor executivo da Módena Incorporadora, Luís Henrique Moreira. O público-alvo, completa ele, são casais sem filhos, ou com apenas um filho, solteiros e investidores, que querem revender ou alugar.

O sucesso foi tanto, que lançado em novembro, o empreendimento teve 50% das unidades vendidas em apenas 10 dias. Segundo Moreira, a expectativa é completar as vendas em, no máximo, seis meses. O projeto será ainda sustentável, com sistemas de reaproveitamento de água, gestão de resíduos, elevadores inteligentes e economia de luz nos apartamentos pelo aproveitamento da iluminação natural com as paredes de vidro.

Com um modelo diferenciado, que faz a análise de risco e precificação baseadas em diferentes cenários, com, por exemplo, pesquisas de mercado, a Módena planeja girar no mercado com VGV global estimado de R$ 1 bilhão, com projeção de Ebitda (lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização) de 30%.

“Para nós, risco é tudo, e por esse motivo compreendemos que o caminho para o sucesso no setor imobiliário é a mistura de dois componentes que melhor minimizam riscos: a oferta de projetos diferentes e o estudo eficaz de cada um deles”, diz Moreira, acrescentando que o mercado imobiliário nacional passa por um momento de realinhamento: “Não há crise. Um terço das famílias brasileiras ainda mora de aluguel. Em mercados maduros, como Europa e Estados Unidos, esse número é de 15% a 20%. Até 2020, entram mais pessoas no mercado de trabalho do que as que se aposentam. Temos muitas oportunidades”.

Com três empreendimentos em construção, a incorporadora planeja ao menos mais quatro projetos com o conceito criado pelo Glass. “Nós criamos um conceito no país. O Glass deve chegar, no ano que vem, à Jundiaí. Temos ainda planos para São Paulo, Osasco e Campinas. Nosso foco é atuar em um raio de 100 quilômetros da cidade de São Paulo, pois não acreditamos em incorporadoras muito grandes”, finaliza o executivo.

Últimas de _legado_Notícia