Por monica.lima

Rio - O Polenguinho, carro-chefe da fabricante Polenghi — uma das marcas da francesa Groupe Savencia Saveurs & Spécialités — , chega aos 60 anos com o desafio de atravessar mais gerações como o queijo para ser consumido em qualquer lugar. Para isso, aposta na comunicação digital e também na extensão de sua linha de produtos, além de campanhas em TV fechada.

A marca tem mais de um milhão de fãs nas redes sociais e é a mais conhecida da Polenghi, que está pegando carona na festa de sua sexagenária para reforçar junto ao público consumidor de queijos fundidos e processados sua linha de produtos, que inclui também uma linha premium, de queijos especiais. Para isso, acaba de lançar um aplicativo, o Polenghi Sélection Combina, que pretende orientar o consumidor sobre as melhores combinações de queijos e seus acompanhamentos para reuniões em casa. O aplicativo ainda ajuda o usuário no preparo de receitas. O aplicativo está disponível para IOS e Google Play.

“Nos 60 anos da marca, vamos trabalhar ações no ponto de venda e também nas redes sociais e em canais digitais como o Youtube, onde já tivemos uma campanha que convidava o internauta a nos dizer de que forma ele consome o Polenguinho. Com tudo isso, estamos contando também a história do produto para a nova geração de consumidores”, explica Ana Trecenti, gerente de Produtos da Polenghi.
Ainda segundo ela, novas linhas de produtos para Polenguinho serão lançadas também como parte da comemoração. Além da versão tradicional e light e da linha com sabores, o queijinho também se transformou em requeijão no final do ano passado.

“Vamos apresentar novidades e investir bastante também em embalagens comemorativas de Polenguinho esse ano. Mas vamos manter os lançamentos em sigilo por enquanto”, despista Ana.

Com três unidades de fabris — em Angatuba (SP), sede da empresa, São Vicente de Minas (MG) e Goiatuba(GO) — a empresa familiar era propriedade de uma família de imigrantes italianos, os Polenghi, que em 1947 instalaram em Angatuba a Cia Brasileira de Laticínios Polenghi. Em 1955, o Polenguinho foi lançado no formato quadradinho. Mas já teve também uma versão triangular, que não fez sucesso. A ideia inovadora para a época e as boas vendas do queijo quadrado chamaram a atenção de fabricantes franceses. E o grupo francês Soparind Bongrain (que mudou o nome para Groupe Savencia Saveurs & Spécialités, no final do mês passado) adquiriu a empresa brasileira em 1977. Hoje, o Polenguinho tem <CW-9>90% de participação de mercado na categoria de queijos fundidos em porções, segundo a Nielsen, e, de acordo com dados do Euromonitor, ao entrar na categoria de queijos em pasta no ano passado, já conseguiu abocanhar 13,6% deste mercado. Parte da produção brasileira é exportada para países da América do Sul, como Chile e Uruguai. Hoje, as principais concorrentes da marca são a Danúbio, que no final do ano lançou o Queijinho Danúbio, com o mesmo formato quadrado e proposta semelhante a do Polenguinho. A outra concorrente no Brasil, com menos expressividade é a marca A vaca que Ri, da portuguesa Bel,cujo produto é encontrado em delicatessen. O outro concorrente na categoria é o President processado, da francesa Lactalis Group.

A dona de Polenguinho e da Polenghi, que também tem negócios em mais de 116 países, não revela números de faturamento da fabricante brasileira. No consolidado global, informado pela companhia, as vendas da Groupe Savencia Saveurs & Spécialités no ano passado chegaram a € 4,6 bilhões.

Você pode gostar