Svitzer compra brasileira Transmar e aporta de vez no Brasil

Com aquisição, a empresa do Grupo Maersk passa a oferecer rebocagem portuária no país

Por O Dia

A Svitzer adquiriu o controle acionário da operadora de rebocagem brasileira Transmar Serviços Marítimos. Com a compra, a empresa do Grupo Maersk dá um primeiro passo para começar a oferecer serviços de rebocagem portuária no Brasil. A divisão brasileira em breve se chamará Svitzer Brasil e faz parte da estratégia de expandir sua atuação em mercados em crescimento.

A meta é investir mais de R$ 200 milhões nos próximos dois anos, para, entre outras coisas, a construção pelo menos mais 10 rebocadores em estaleiros nacionais. A empresa já conta com 10 embarcações, que são da Transmar. “Já estamos de olho em dois estaleiros brasileiros para construírem nossas novas embarcações”, diz o diretor de Operações da Transmar, Tarik Darian.
Segundo ele, o mercado brasileiro ainda possui bolsões mal servidos de rebocadores e há oportunidades tanto no curto, quanto no longo prazo.

A Svitzer Brasil já nasce com clientes como Shell e Zport, de São Francisco do Sul (SC), mas também está atenta e interessada em prestar serviço a outras empresas nacionais, como Petrobras, e também internacionais. “A Svitzer tem muitas sinergias com a Transmar. Planejamos agregar os padrões globais e a experiência internacional da Svitzer, com conhecimentos locais da Transmar”, diz o executivo.

Com sede no Rio de Janeiro, a Transmar Serviços Marítimos já opera em dois portos e em dois campos de petróleo, possui uma frota de dez navios e 74 funcionários. A empresa fornece serviços de apoio marítimo a portos e clientes offshore ao longo de toda a costa brasileira.

“No Brasil, há portos com padrões internacionais, mas também outros precisam de melhorias. Vamos contribuir também para a evolução do serviço portuário brasileiro, porque vamos oferecer melhores rebocadores, além de treinamentos para nossos colaboradores brasileiros aqui mesmo e também no exterior”, destaca Darian.

O executivo reforça que o momento econômico e político conturbado que o país atravessa não altera os planos da empresa para o Brasil. “É uma das maiores economias do mundo. Somos agressivos”, diz ele, reforçando que a Svitzer já estudava sua entrada no mercado brasileiro há um tempo.
A Svitzer Brasil será chefiada pelo diretor Administrativo Dan Estebanez, que possui vários anos de experiência em diferentes posições no Grupo Maersk, que está concluindo um ciclo de investimento de US$ 4 bilhões no Brasil.

Últimas de _legado_Notícia