ONG Endeavor seleciona empresas no Rio para programa de crescimento

Foram escolhidas 20 empresas de diferentes setores para capacitação. É a primeira vez que o projeto é implementado na região

Por O Dia

Rio - A ONG Endeavor, organização voltada para o estímulo ao empreendedorismo de alto impacto, escolheu, no Rio, 20 empresas com potencial para se tornarem grandes corporações. Esta seleção é parte do programa Promessas, que escolhe as companhias de diferentes setores com base em critérios como crescimento anual constante, diferenciais em seu produto ou serviço e como são vistas por fornecedores e parceiros comerciais. É a primeira vez que o programa é implementado no Rio, apesar de a Endeavor atuar no estado há dez anos.

“O objetivo da iniciativa é capacitar os empreendedores para que estejam a um passo de transformarem seus negócios em empresas de alto impacto, transformando-se em inspiração para as próximas gerações. Uma boa parte do trabalho da Endeavor é esse, de encontrar empresas de alto impacto e aquelas que vão chegar a esse patamar. Vendo o grande número de empreendedores fluminenses com este potencial, vi a possibilidade de expandir para o Rio o programa Promessas. Consultamos mais de 100 empresas e selecionamos as 20 mais capacitadas para dar este salto”, explica Alexandre Caseira, coordenador da Endeavor Rio.

As empresas que são “promessas” do empreendedorismo precisam ter crescimento médio de 20% ao ano por pelo menos três anos consecutivos. O faturamento destas empresas gira entre R$ 1 milhão e R$ 3 milhões ao ano e elas precisas ter ideias e propostas diferentes para o mercado.

“As empresas selecionadas passam a fazer parte de uma grande rede de executivos e profissionais de grandes empresas e, com eles, recebem orientações em áreas como marketing, gestão empresarial, finanças, branding e RH. Chamamos estes profissionais de nossa rede, que tem empresas com faturamento em torno de R$ 30 milhões, como mentores”, diz Caseira, adiantando que a Endeavor não entra nas empresas selecionadas como sócia ou como financiadora por meio de aporte. “Nosso trabalho é abrir portas para elas”, completa.

Uma das empresas selecionadas pelo programa é a Brownie do Luiz, há dez anos no mercado e hoje com duas lojas, em Laranjeiras e no Leblon, zona Sul do Rio, 100 pontos de venda na cidade e distribuição para todo o país via e-commerce. A marca, que surgiu de forma despretensiosa pelo então estudante Luiz Quinderé, faturou no ano passado R$ 2 milhões. Comedido, ele prefere não fazer projeções para esse ano. Mas afirma que as vendas estão crescendo, apesar da crise.

“Comecei a vender brownies quando ainda estudava no Teresiano CAP/PUC, aos 15 anos. Na verdade era antes de mais nada um lanche que levava, receita feita em casa. Mas todos os dias um colega pedia para comprar. Assim, a produção foi crescendo, até que a cantina do colégio passou a pedir receita por causa disso. Mas o brownie já era conhecido e segui vendendo ao longo dos anos. Por cinco anos produzi ainda na casa dos meus pais. Hoje, passados dez anos, nossa fábrica na Praça da Bandeira produz de sete a oito toneladas por mês. Nesse local, devemos ficar por mais um ano e meio. Já há um projeto ampliar a fábrica”, detalha Luiz.

Para não desperdiçar as latas de achocolatado usadas nas receitas e as sobras de brownie do tabuleiro, ele criou o “Veneno da Lata”, que se tornou uma ferramenta de marketing.

“Hoje, temos uma produção diversificada. E essa entrada na Endeavor vai nos ajudar a trabalhar melhor as estratégias de gestão, aproximação com pessoas que passaram pelas mesmas dificuldades que as nossas”, afirma Luiz, que não quer investidores no seu negócio. Pelo menos por enquanto. “Nem parceiros financeiros e nem aportes. Também recebemos propostas de franquias mas ainda não está nos nossos planos”, assinala.

Outra empresa selecionada, a PEBmed, idealizada há três anos por estudantes de medicina e médicos em início de carreira, criou 20 aplicativos com o objetivo de facilitar a vida dos médicos.

“Nossas ferramentas são voltadas para a prática médica, que facilitem a vida do profissional. Hoje, temos 120 mil usuários ativos de nossos aplicativos, entre estudantes e profissionais. A entrada na Endeavor vai nos ajudar a desenvolver melhor a gestão do nosso negócio e nos colocar em contato com possíveis investidores”, diz Bruno Lagoeira, um dos sócios da PEBmed.

Últimas de _legado_Notícia