Maioria das PMEs do país não tem seguro empresarial

Pesquisa mostra que mais de 70% não contam com nenhum tipo de cobertura. Apólices previnem perdas e até o fechamento do negócio

Por O Dia

Rio - O setor de pequenas e médias empresas representa 99,1% das 5,1 milhões. Essa é a constatação de uma pesquisa feita pela RSA Seguros que afirma ainda que aproximadamente 70% das PMEs não têm qualquer tipo de seguro, colocando em risco o futuro de suas operações. O número poderia ser bem menor caso houvesse um planejamento preventivo bem estruturado que antecipasse os riscos para evitar perdas futuras.

“O pequeno e médio empresário, por falta de conhecimento, considera o seguro uma despesa (33%) e não um investimento. Ao ter contato com o seguro pela primeira vez, muitos empreendedores se surpreendem com o custo-benefício que este produto oferece”, explica Thomas Batt, CEO da RSA Seguro.

Segundo os dados divulgados pela empresa, o segmento das pequenas e médias empresas representa 44% do total do mercado de seguros, com R$ 16 bilhões em prêmios, sem considerar os produtos de seguro saúde e previdência. Entre os principais motivos apresentados para a contratação do seguro estão o acirramento da concorrência, as taxas de crédito, a reorganização dos negócios e a estratégia de expansão. (não entendi)

Dos 5,1 milhões de negócios abertos no país em 2010, segundo a pesquisa, 52% eram do setor de Serviços, área que detém 41% dos empregos e 38% da massa salarial. Para se ter ideia do volume de investimentos, em 2001, R$ 5,8 bilhões foram disponibilizados às PMEs pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), mas que não são direcionados à seguridade patrimonial e pessoal das empresas.

“Muitos empreendedores nunca pensaram na necessidade de contratar um seguro para seu negócio, 37%, segundo nossa pesquisa, o que mostra um grande desconhecimento do mercado em relação a este serviço”, destaca Batt.

Apesar dos números negativos que mostram que as PMEs ainda precisam se habituar com o mercado de seguros, caminho natural para empresas em expansão, a Porto Seguro, administradora deste tipo de carteira, mostra crescimento em suas atividades. Em 2013, segundo dados da empresa, o setor apresentou expansão de 15% e a expectativa é de que 2014 feche com expansão ainda maior na comercialização de seguros para PMEs.

“Se olharmos para o mercado de seguro empresarial, de modo geral, observamos que as carteiras crescem em média 4% ao ano. Visto isso, nosso desempenho então se destaca e é preciso comemorar. Isso acontece porque tem havido uma mudança de comportamento das PMEs que, cada vez mais, buscam uma opção de seguro para evitar perdas futuras”, diz o gerente de Produtos na Área de Seguros Patrimoniais da Porto Seguro, Jarbas de Medeiros Baciano.

A Porto Seguro registrou crescimento da procura de empresas desse porte por produtos específicos. De 2012 para 2013, houve aumento de 20% de clientes petshops e 16% de salões de beleza. O serviço mais procurado é o de cobertura de incêndios, obrigatório para todas, que em média, na Porto Seguro, custa de R$ 300 a R$ 400 por ano. A empresa tem uma carteira de PMEs de 130 mil negócios.Além de oferecer produtos a bares e restaurantes, pousadas, petshops e clínicas veterinárias e salões de beleza, a empresa preparou recentemente seguros voltados a academias, escolas, universidades e clínicas e consultórios médicos.

“Hoje nós trabalhamos de maneira bastante diferenciada. Vamos até o cliente para descobrir suas necessidades e, assim, desenvolver um produto que contemple todas as suas demandas. Pensamos ainda na dinâmica do nosso mercado de PMEs, temos seguros diferenciados para academias, clínicas de estética, clínicas veterinárias, escolas, universidades, bares e restaurantes”, aponta.

Fique por dentro

A demanda das PMEs por seguro não se restringe apenas à proteção patrimonial (raio, incêndio raio, explosão, roubo, etc), mas também aos investimentos relacionados à saúde e ao bem-estar dos funcionários, como seguro de vida e odontológico. Segundo as seguradoras, isso reflete a maior profissionalização das pequenas e médias empresas, o que deve levar o mercado a crescer nos próximos anos.

No geral, os seguros destinados às pequenas e médias são pacotes prontos, e não tão planejados e personalizados como os para as grandes empresas. Isso é uma característica do mercado para oferecer preços mais atraentes às PMEs. Vale destacar que os valores variam de acordo com o segmento da empresa e, especialmente, de acordo com a seguradora que será contratada. A dica é manter um planejamento do que se espera do seguro, de acordo com as contas da empresa e, também, não deixar de visitar pelo menos três ou mais seguradoras.