Por bianca.lobianco

Rio - O restaurante Da Carmine, na Rua Mariz e Barros, em Icaraí, inovou com uma receita de paleta de carneiro assada em forno a lenha. Acompanhado de risoto de funghi tartufato, o prato tem sido a estrela do cardápio. O local faz parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança e é conhecido pelo jeito rústico, típico de uma tradicional cantina italiana.

Inaugurada em 2002%2C o Da Carmine de Icaraí faz parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança e é conhecido pelo jeito rústicoAlexandre Vieira / Agência O Dia

O Da Carmine de Icaraí foi inaugurado em 2002, mas seu dono, o italiano da Calábria Carmine Marasco, já vive em Niterói desde 1995 e gosta de dizer que veio parar na cidade por causa do ‘coração’. “Eu fui o caso clássico do italiano que se apaixona pela mulata linda. A conheci em Paris e larguei tudo para vir atrás dela aqui em em Niterói”, disse.

Carmine era pizzaiolo na Itália e, já morando na Região Oceânica de Niterói, fez uma padaria na própria casa, instalando um forno a lenha. Logo depois, abria as portas nos fins de semana para servir pizzas que atraíam cada vez mais pessoas.

Como o que tinha começado como uma produção caseira não parava de crescer, ele trouxe da Itália o irmão para ser o parceiro da empreitada. “Bruno que é realmente o chef, eu sou o homem dos pães e da pizza”, afirma o italiano. O Chef Bruno Mascaro se formou no renomado Instituto Alberghiero di Guardia Piemontese.

Hoje, os irmãos Marasco têm três restaurantes e o Empório del Gusto, ao lado do Da Carmine de Icaraí. Juntos, eles são reconhecidos como os precursores, na cidade, de um estilo que representa a autêntica culinária mediterrânea.

O Bar Itália, em Charitas, segue o mesmo jeito de cantina dos dois Da Carmine (o de Icaraí e o de Itaipu), mas com uma programação musical constante e de qualidade.O baterista Chico Batera e a esposa ficaram responsáveis pela agenda de músicos que tocam na casa. “No Bar Itália eu queria algo um pouco diferente. Eu não consigo ficar quieto, quero fazer sempre algo mais”, reforça.

Carmine gosta também de cantar músicas italianas para os frequentadores de seus restaurantes. “Não é sempre que faço isso, tem que ter um clima bom. Gosto de ir até as mesas e soltar a voz. Tenho até os músicos para me acompanhar. Só não me peça para cantar músicas da Laura Pausini”, brinca. Ele canta às quintas-feiras na casa de Icaraí e às quartas e sextas-feiras no restaurante de Itaipu.

Carmine era pizzaiolo na Itália e vive em Niterói desde 1995Alexandre Vieira / Agência O Dia

Armazém com dicas de mãe

Sem conseguir ficar parado, como ele mesmo diz, Carmine abriu há dois anos o Empório del Gusto, ao lado do Da Carmine na Mariz e Barros, em Icaraí. Por lá se encontram massa crua de diversos tipos, arroz para risotos (já com tempero), pastas e frios para sanduíches feitos com pães que saem do forno a lenha, além de um legítimo sorvete italiano. O armazém serve um delicioso café da manhã e, à noite, um buffet que pode ter caldos no inverno e saladas e antepastos no verão. A matriarca da família, de 85 anos, que os irmãos Marasco fizeram vir da Itália, é a inspiradora do cardápio do Empório.

Tá perdoado

Carmine conta muitas histórias, e uma delas é sobre a fabricação de seu limoncello, típico licor italiano produzido com limão siciliano.

Ele começou a fazer o licor após descobrir que um conterrâneo seu tinha três pés cheios da fruta no quintal da casa de praia, em Itacoatiara, e não deixava ninguém colher. Para conseguir os limões, quando o amigo passava em sua casa no final do domingo para comprar pães e tomava o rumo do Rio, Carmine ia até Itacoatiara para pular o muro da casa, em busca da preciosa matéria-prima. Seu elogiado licor era sempre servido no restaurante em doses gratuitas e alguns eram presenteados com uma garrafa, como o dono dos limões, que agradecia sem desconfiar dele.

Reportagem de Suzana Blass

Você pode gostar