Por paulo.gomes

Niterói - O Morro do Cavalão, em Niterói, na Região Metropolitana, amanheceu nesta quinta-feira com o policiamento reforçado, após as cenas de violência da noite de quarta. Homens do 12ºBPM (Niterói) e do Grupamento de Ações Táticas estão patrulhando a comunidade.

Ônibus foi queimado em Icaraí na noite de quarta-feira após morte de dois jovens durante ação policial no Morro do Cavalão. Túnel foi fechado devido ao tiroteioUanderson Fernandes / Agência O Dia

A confusão em Niterói começou após a morte de dois jovens no Cavalão. Com isso, os criminosos levaram pânico a endereços nobres da cidade. Um ônibus da linha 38 (Itaipu-Terminal) foi incendiado na Rua Joaquim Távora. De acordo com informações obtidas pelos policiais militares, cerca de 15 menores mandaram todos os passageiros saírem do ônibus e atearam fogo. Uma barricada de fogo podia ser vista na entrada do Túnel Raul Veiga, que liga os bairros.

Também no início da noite de quarta, um veículo com criminosos abordou pessoas que faziam churrasco na Avenida Rui Barbosa, em São Francisco e praticou assaltos. Apavorados, motoristas fugiram pela contramão, e o trânsito foi interrompido por duas horas. O reflexo do engarrafamento chegou à Ponte Rio-Niterói. O registro das duas ocorrências foi feito na 77ªDP (Icaraí).

Segundo a PM, os jovens eram suspeitos de integrar o tráfico e entraram em confronto com os militares. O comandante do 12ºBPM, coronel Gilson Chagas, disse que criminosos desceram da mata no alto do morro, que foi cercado pela polícia. “Mobilizamos equipes com apoio de helicópteros para tentar prender os bandidos”. Na noite desta quarta-feira, boatos de que crianças haviam sido reféns em um colégio foram espalhados pelo aplicativo WhatsApp. Chagas mandou checar a informação logo que esta começou a ser espalhada, e constatou se tratar de boato.

Você pode gostar