Por marina.rocha

Niterói - Estrada Caetano Monteiro, altura do número 1.800, quarta-feira, 6h30, sentido Maria Paula. Um carro atravessado na pista chama a atenção de um morador que passa do outro lado. Ele pensa ser um acidente sem gravidade e segue. Ao olhar pelo retrovisor, vê que os dois homens numa moto são bandidos. Um deles coloca a arma na cabeça do motorista, que abre a porta. Desesperada, a testemunha acelera o carro e busca ajuda na Companhia Destacada da PM, no Badu, a menos de um quilômetro do local do crime.

Na altura do número 1.800 a velocidade permitida é de 60 kmDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

“Gritei, buzinei e chamei, mas nenhum policial apareceu para me atender, apesar do pátio da companhia estar cheio de viaturas, todas vazias. Estava atrasado para o trabalho, mas cumpri com meu dever de cidadão, que foi pedir ajudar para a vítima e avisar a polícia. Poderia ter sido comigo, porque passo todos os dias por ali. A violência aqui na região está cada dia pior e não vemos patrulhamento”, denunciou o motorista, que prefere não se identificar.

O local da ação fica ainda a cerca de um quilômetro do posto da PM do Trevo de Maria Paula. O ataque dos criminosos aconteceu onde há um radar instalado há pouco tempo na estrada, onde a velocidade permitida é de 60 km/h. Os ataques costumam acontecer exatamente no momento em que os motoristas reduzem para evitar a multa. 

E foi justamente essa modalidade de crime que levou a retirada de um outro radar, um pouco mais adiante de onde houve o assalto de quarta-feira. O equipamento estava instalado num sinal de trânsito onde a velocidade permitida era de 40 quilômetros. Se o motorista passasse no vermelho, também seria multado. Há vários relatos de assaltos no local que, durante algum tempo, teve uma placa avisando que o radar estava desligado.

Na última quarta-feira%2C Companhia Destacada da PM%2C no Badu%2C tinha viaturas%2C mas sem policiaisDivulgação

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), em novembro do ano passado foram roubados em Niterói 144 veículos, dez a mais que o mesmo período de 2013, um aumento de 7,46%. Novembro do ano passado também registrou aumento dessa modalidade de crime em relação a outubro do mesmo ano, quando foram roubados 88 carros, um aumento de 63% dos casos.

Mas, de acordo com o comandante do 12º BPM (Niterói), coronel Gilson Chagas, três viaturas fazem o policiamento dessa região, além do grupamento de motocicletas. Segundo a PM, em dezembro do ano passado, a unidade apreendeu 508 motos em operações que tentam coibir essa modalidade de crime. Sobre a falta de PMs na companhia, o comandante informou que mantém policiais no local 24 horas e que a denúncia da testemunha de que não foi atendida será apurada.

Você pode gostar