Por marina.rocha
Marcelo Panetone é um dos professores mais conhecidos de acroyogaDivulgação

Niterói - Quem olha rápido até pensa que é aquela brincadeira de ‘pirâmide humana’. Na verdade é a acroyoga, uma atividade que está chegando com tudo em Niterói. A teoria é simples: duas ou mais pessoas usam somente o corpo para realizar acrobacias e parar em algumas posições, chamadas de posturas ou ‘ásanas’ (termo utilizado na yoga tradicional). Já rolaram dois workshops na cidade, e o próximo vai ser em fevereiro.

O professor mais conhecido por aqui é Marcelo Cruz Santos, o Panetone, que conheceu a modalidade há um ano. “Na acro a gente tá com a mente totalmente no tempo presente. Você tem que ter consciência corporal, trabalhar a respiração e os parceiros têm que estar bem conectados. A gente trabalha com a teoria da unidade entre as duplas”, adianta.

A pessoa que fica como ‘base’ é a que sustenta o peso do ‘voador’. Além deles, sempre deve haver um ‘anjo’, que fica de fora auxiliando e cuidando para não acontecer nenhum acidente. “É de grande importância ter alguém dando apoio para evitar acidentes”, frisa Panetone, que tem um grupo no whatsapp onde os seguidores da acro marcam de se encontrar para praticar. Na terra de Araribóia o destino mais procurado é Itacoatiara.

A fisioterapeuta Marina Eboli confirma que a moda está pegando. “As fotos da acro chamam a atenção nas redes sociais e aí as pessoas procuram a atividade”, diz ela que pratica a acro junto com o namorado, o psicólogo João Marcos Wilkinson.

Para voar

Como ainda não existe cursos regulares específicos de acroyoga em Niterói, uma opção para quem quer ingressar na atividade é fazer o neopilates. O método é novo, foi criado há quatro anos pela gaúcha Amanda Braz e tem pouco mais que 2 mil instrutores em todo o Brasil.

Postura do casal João Marcos e Marina Eboli%2C na Praia de IcaraíMarina Rocha

Marina Eboli é um deles e dá aulas no seu estúdio, o Espaço Plenus, em Icaraí. “O neopilates engloba a acroyoga e outras acrobacias em bases instáveis”, explica.

Uma das alunas que arrasa na acro é a irmã dela, a publicitária Adriana Eboli. “Eu adoro ‘voar’, dá uma sensação de liberdade. Mas é preciso ter confiança no parceiro, tem que ter uma troca”, diz.

O estúdio tem várias turmas de neopilates e a mensalidade varia de R$ 200 a R$ 290.

Você pode gostar